António Cláudio, Folclorista de Almeirim

António do Carmo Cláudio

Nasceu em Almeirim, a 19 de Março de 1927, localidade onde veio a falecer no dia 17 de Março de 2019.

António Cláudio - Folclorista de Almeirim

Licenciado em História, pela Universidade de Letras de Lisboa, em 1979, foi um reconhecido etnógrafo e folclorista, músico filarmónico, historiador e poeta, que dedicou uma grande parte da sua vida à cultura, nomeadamente à história local e às tradições populares de Almeirim.

Membro fundador do Rancho Folclórico da Casa do Povo de Almeirim, a cuja direcção presidiu durante largas décadas. Integrou a Comissão Executiva do Festival Internacional de Folclore de Santarém. Foi, ainda, membro da Federação do Folclore Português (FFP), tendo  integrado o Conselho Técnico Regional do Ribatejo e presidido à Assembleia Geral da FFP.

Exerceu as funções de Vereador do Pelouro da Cultura da Câmara Municipal de Almeirim durante dezasseis anos (1976-1993).

Dirigiu a Biblioteca Municipal de Almeirim, onde desenvolveu um trabalho notável ao nível da pesquisa, recolha e divulgação de aspectos históricos e sociais do concelho de Almeirim. Foi, também, o responsável pela criação e edição do Boletim Municipal e dos Cadernos Culturais.

Publicações

Publicou igualmente os Cadernos Culturais

– “Brasões de Almeirim

– e “Toponímia de Almeirim

bem como outras publicações editadas pela Câmara Municipal.

Foi, também,

– correspondente do jornal “Diário de Notícias”,

– chefe de redação da revista “Folclore”,

– colaborador e diretor do jornal “O Almeirinense”,

e colaborou noutros jornais e revistas com textos em prosa e em poesia.

Escreveu ainda para teatro, “Canto da Hora Presente” e “No Olival da Folha”, este último baseado num conto do Dr. José Amaro de Almeida. Desenvolveu várias atividades culturais, destacando-se, entre outras, o espetáculo recreativo “Ping-Pong”, entre 1970 e 1974.

Como funcionário do Instituto de Emprego e Formação Profissional, efetuou o levantamento do artesanato do distrito de Santarém, do qual foi publicado o livro “Artesanato da Região de Lisboa e Vale do Tejo”.

A partir de 1951, apresentou, na antiga Rádio Ribatejo, em Santarém, diversos programas com destaque para a temática do Folclore.

Foi membro do primeiro Corpo Ativo dos Bombeiros Voluntários de Almeirim, músico da Banda Marcial de Almeirim e da extinta Orquestra Ribatejo.

Em 1994, foi-lhe atribuída pela Câmara Municipal de Almeirim, a Medalha Municipal de Valor e Mérito-Grau Ouropela importante e prestigiosa contribuição para o desenvolvimento do Concelho de Almeirim”.

Imagem de destaque

Se quiser receber no seu email os novos artigos publicados, subscreva a nossa Newsletter!
Mantemos os seus dados totalmente privados e nunca os vamos partilhar com outros. Leia a nossa Política de privacidade e responsabilidade