Vinhos da região do Dão | Vinhos de Portugal

Vinhos do Dão

O bom vinho do Dão nem sequer é fruto de uma zona homogénea, embora não se possa considerar desavisada a criação de região demarcada.

A Região Demarcada do Dão foi instituída em data desconhecida de 1908.

Esta foi a primeira região demarcada de vinhos não licorosos do país e a segunda região demarcada de vinhos do país, após a Região Demarcada do Douro. Fica situada no centro de Portugal, na antiga província da Beira Alta.

Em boa verdade, o vinho do Dão é fruto de cepas que se alimentam de um certo tipo de solo e «bebem» um determinado tipo de sol: instalam-se em encostas viradas a sudoeste e alimentam-se no granito porfiróide, aquele a que chamamos «dente de cavalo».

É um granito facilmente atacado pelos agentes atmosféricos, o que quer dizer que se transforma em terra com relativa facilidade. O que não evitou que a plantação da vinha do Dão tivesse sido uma verdadeira epopeia humana.

Epopeia que daria o resultado merecido, sob a forma de um líquido báquico incomparável. (…)

Com certidão de nascimento…

Por muito bons que seja, e são, os vinhos do Dão quase exigem hoje uma «certidão de nascimento», para termos a certeza de que vamos degustar um néctar capaz de fazer jus à fama de que goza.

Quando a procura respondeu à indesmentível qualidade do vinho do Dão, os produtores confrontaram-se com a incomodidade de não disporem de oferta suficiente.

A partir daí, e no dizer de um conhecedor do fenómeno, «toda a uva era boa para fazer vinho do Dão».

Como seria de esperar, a qualidade deixou de ser o que era e, como sempre acontece nestas situações, a procura também foi refreada.

O que constituía uma fonte de rendimento segura, passou a ser mera recordação de um lucro fácil e imediato, mas perecível. A situação já está hoje mais corrigida, mas ainda não completamente. (…)

Os vinhos do Dão estão profundamente relacionadas com o uso das castas mais apropriadas, dentro das recomendadas para a região, a saber: Touriga Nacional, Alfrocheiro, Aragonez – Tinta Roriz, Jaen, Encruzado, Malvasia Fina.

In GUIA Expresso O Melhor de Portugal – nº6 (texto editado, adaptado e aumentado) | Imagem