Semana da Diversidade… e da Portugalidade em Andorra

 

No passado dia 18 de Maio (sábado) concluiu-se a 9ª edição da Semana da Diversidade Cultural de Andorra la Vella. O encontro cultural contou com a participação de diversas associações culturais de diferentes países/regiões do mundo que convivem na capital andorrana, nomeadamente, Venezuela, Peru, Índia, Rússia, Croácia, China, México, Andorra, Estremadura, África, Caribe, Argentina, Filipinas e Portugal.

A representação lusitana esteve a cargo do Grupo de Folclore ‘Casa de Portugal’ que aderiu às iniciativas propostas pela organização, e das quais se destacam, desde o dia 11, a decoração de montras, a inscrição de poesias nas passadeiras das ruas da capital do Principado, e, no dia 18, o desfile do traje e bandeiras dos países participantes, a mostra gastronómica e o encontro de danças tradicionais.

O noivado tradicional minhoto foi o tema escolhido pelos elementos do Grupo para decorar a montra de uma florista. Os trajes e adereços tradicionais do Alto Minho integraram-se perfeitamente num “quadro” composto por plantas e flores, tendo surpreendido os transeuntes que passavam e olhavam para a montra.

A poesia também mereceu destaque nas diferentes passadeiras das principais artérias. Para o efeito, o Grupo de Folclore ‘Casa de Portugal’ escolheu Fernando Pessoa e deu a conhecer à sociedade andorrana o texto: “Tenho em mim todos os sonhos do mundo”, um tema que tem caracterizado as aspirações da entidade portuguesa em Andorra.

Para o desfile de sábado, os elementos do Grupo recriaram um casamento dos inícios do século XX (pois o vestido da noiva está datado de 1911), e onde não faltaram os pais dos noivos, padrinhos e os convidados trajados para a ocasião. Cerca de vinte entidades contribuíram para o desfile pela Avenida Meritxell do Principado de Andorra, tendo terminado na Plaça Guillemó, onde os noivos fizeram a entrada e receberam dos convidados uma chuva de “confetis”.

[themoneytizer id=”19156-3″]

 

Foi, também, inaugurada a mostra “A diversidade à mesa”, com a participação de 11 países, na qual, entre guacamole mexicano, arepas venezuelanas ou rolinhos de primavera filipinos, a gastronomia lusitana se destacou pelos bolinhos de bacalhau e broa de milho, dobrada (tripas) à moda do Porto, pastéis de Belém e vinho branco, servidos pelos elementos do Grupo.

O folclore português esteve a cargo do Rancho Folclórico dos Residentes do Alto Minho, e embora a chuva tivesse marcado presença, o Grupo de Folclore ‘Casa de Portugal’ concluiu a sua presença no evento apresentando algumas das danças tradicionais minhotas, tendo dançado nas arcadas da praça para deleite do público assistente.

Nota à Imprensa (texto adaptado), por José Luís Carvalho

[themoneytizer id=”19156-16″]