Rancho Folclórico “Os Campinos” de Vila Chã de Ourique

 

O Rancho Folclórico “Os Campinos” de Vila Chã de Ourique foi fundado a 19 de Abril de 1936 por um simpático grupo de pessoas, que decidiram mostrar os usos e costumes, no âmbito quotidiano social e profissional da respetiva localidade.

Entre bailaricos, viras e valsas, sempre homenageando o amor, o trabalho do campo (nomeadamente o amanho da vinha e produção do vinho), e as várias festividades, destacam-se as lides dos campinos na lezíria ribatejana com os cavalos e os toiros.

Estes são os motes para alguns Fandangos famosos no Ribatejo, que são dançados por homens que, na tentativa de mostrar o seu vigor e masculinidade, faziam (e fazem) os mais variados tipos de sapateados, utilizando, algumas vezes, o seu varapau e um meio-alqueire, e também por mulheres que, com os seus cântaros de água e vinho à cabeça, os equilibravam com muita perícia, formosura e orgulho.

Os trajes que o Rancho Folclórico “Os Campinos” de Vila Chã de Ourique apresenta são os seguintes:

trajes masculinos: Campino de Gala, Lavrador, Lagareiro, Domingueiro, Sal e Pimenta.

trajes femininos são: Trabalho, Caminho e Domingueiro.

A tocata é constituída pelos seguintes instrumentos musicais: acordeão, cana, ferrinhos, quarta e reco-reco.

Com coreografias, arranjos e adaptações próprias do decorrer das décadas, este grupo de folclore gerou o seu próprio “Fandango do Meio-Alqueire”, em 1938, especificamente para ser apresentado na Feira do Povo Português, no Festival do Cacho Doirado, no Coliseu dos Recreios em Lisboa.

Perante uma ilustre plateia, onde figurava, também, o então Presidente da República Portuguesa, Marechal Carmona, este Fandango ganhou o Prémio Cacho Dourado, dando-lhe um destaque e uma importância tal que não mais deixou de completar o reportório de danças e cantares do Rancho Folclórico “Os Campinos” de Vila Chã de Ourique, sendo o seu ex-libris até hoje.

Sobre Vila Chã de Ourique

A freguesia foi criada em 20 de janeiro de 1907, por ocasião da sua desanexação da freguesia do Cartaxo. Em 1926 adotou o atual topónimo, e em 1997 foi elevada a vila.

Dadas as potencialidades dos terrenos desta freguesia, a vinha e a produção de vinho têm um papel fundamental na vida económica local. É também em Vila Chã de Ourique que se situa a principal área empresarial do concelho, onde estão instaladas cerca de duas dezenas de empresas.

A freguesia possui uma área de 33,2 km2, com cerca de 3.000 habitantes.

O Monumento à Batalha de Ourique encontra-se no Centro da Vila e é um monumento histórico de que muito nos orgulhamos. Também no centro da Vila está situada a Igreja Matriz, sendo  o Senhor Jesus dos Aflitos o nosso santo padroeiro.

A Festa Anual da Vila ocorre no último fim-de-semana de Julho e são quatro dias de festejos realizados pelo grupo de cinquentões da terra.

O nosso slogan de convite à visita da nossa Terra é “Vila Chã de Ourique tem Vida e Convida”, sendo Terra de Boa Memória.