Capucha - Paisagem de Monsanto e das suas almas

Paisagem de Monsanto e das suas almas

Monsanto – Beira Baixa

“E é Monsanto que surge na sua rigidez de estátua:

«Num plaino ligeiramente montanhoso, a aldeia aninha-se no flanco de um pico, estalagmite monstruosa que, em dias de céu baixo, atravessa as nuvens.

As suas casas de telhas vermelhuscas trepam em caracol ao longo do castelo. Muitas delas, simples trogloditas, parecem enterrar-se na parede, em sinal de mau humor.

É que Monsanto não sabe sorrir!

Monsanto tem a pele coriácea e tem mau génio; sabe-o bem, e não faz segredo disso.

As suas muralhas, mil vezes cercadas, jamais cederam.

Pesada herança de glória, julgareis, que deve dar à gente de Monsanto não pequena arrogância!

Desenganai-vos. Apesar do ambiente rugoso, lê-se nos olhos dos seus habitantes docilidade e, desde que se não sintam observados, certa indiferença melancólica.»

Depois, esta visão dos homens, do elemento humano integrado na paisagem:

«Em Monsanto abundam os camponeses que, num abrir e fechar de olhos, transformam a sua placidez em energia.

Basta um rufar de tambor, uma estrofe de velho romance, e ei-los capazes de cantar e dançar horas a fio, sem que uma gota de suor lhes corra pela face.

As danças portuguesas não têm, bem sei, aquela fúria das de Espanha, que esvazia os pulmões e quebra as vértebras; mas, quanto ao ritmo, excedem largamente em velocidade as nossas danças rústicas.

Uma vez terminadas, a melancolia reaparece. Nem mais um sinal de alegria! A seriedade reencontra nas rugas dos rostos o seu trilho habitual.

No dia seguinte, esta gente empunhará, como na véspera, a rabicha do arado

Danças e cantares

A apoteose monsantina não é contada, mas pintada, vigorosamente, por Villeboeuf:

«Aparte pequenos pormenores, as festas de Monsanto oferecem os mesmos hábitos, as mesmas cerimónias que as do Paúl; impregnadas, no entanto, de mais solenidade, acabam, ao fim do dia, por uma alegoria excepcionalmente grandiosa.

É preciso ter visto o início do espectáculo, de longe, na planície, para se avaliar bem como Monsanto, bloco insólito, rodeado de caminhos pedregosos, se assemelha a uma torre de Babel que uma multidão imensa, vinda dos quatro pontos cardiais, tomasse de assalto.

É num ritmo veloz, em passadas de caçador alpino, por caminhos de cabra e atalhos, que se faz a escalada; e dir-se-ia, ao contemplar o enorme cabeço, um torrão de açúcar subitamente coberto de formigas trepando em espirais para o cimo …

Já a vanguarda dos assaltantes ocupa o alto da cidadela, velha fortaleza de numerosas cercas, amontoado de pedra e de granito a que o tempo quebrou os dentes, e ainda a retaguarda se encontra nas primeiras muralhas. É com ela que inicio a subida.

Valendo-se das mãos e dos joelhos, de talude em talude, um bando de garotos fura, alegremente, por entre as pernas dos orfeonistas esbofados, de trombone às costas e tambor rufando aflitivamente.

Subimos. Uma capela romana corta-nos o caminho.

Mais uma volta, e continuamos a subir. Atinge-se a primeira muralha; e quando, chegados à terceira, nos debruçamos daquele ninho de águias que é a fortaleza, surge-nos um majestoso panorama.

Sob um vento fustigante, o horizonte estende-se até perder de vista, como vaga desdobrando-se para o infinito. Dir-se-ia estarmos na barquinha de um balão cativo.»

Após a noite densa, quási de medo, fora a vibração triunfal do meio-dia.

Dali, dessa barquinha de que fala Villeboeuf, olhávamos, em êxtase, a paisagem circundante, que apanha já terras de Espanha.

Sentíamos todos que o castelo permanecerá inexpugnável, enquanto o seu guarda, o monsantino, souber defender, como bandeira festiva, o seu amor à terra e às vozes ancestrais – sem deixar, evidentemente, de abrir os braços ao progresso civilizador.”

Adolfo Simões Muller

Um curioso espécime de trajos popular: «Capucha» – Monsanto – A Aldeia Mais Portuguesa – Beira Baixa
Galo de Prata- Prémio atribuído a Monsanto, eleita a Aldeia mais Portuguesa de Portugal
A torre onde foi colocado o Galo de Prata que o S.P.N. conferiu a Monsanto
Mulheres de Monsanto tocando adufes (Apontamentos de Paulo Ferreira)
Interior de casa monsantina (Apontamentos de Paulo Ferreira)
Casa dos priores
Tipos de Monsanto
O castelo domina a imponente paisagem
Festa popular em Monsanto (Página de álbum de Paulo Ferreira)

in “Panorama”, nº02 – Julho de 1941 (texto editado)

Exit mobile version