Os Bordados Portugueses são muito antigos!

Bordados Portugueses

A arte dos bordados em Portugal não nos oferece o menor elemento para seu estudo, senão numa época relativamente tardia.

No entanto, o bordado em Portugal é muito antigo, existindo documentos impressos no mesmo ano em que se editaram os «Lusíadas», isto é, em 1572, pelos quais se prova terem as indústrias portuguesas sido reformadas, incluindo a dos bordados.

A Igreja, pela riqueza dos seus ornamentos e pela opulência das vestes sacerdotais, contribuiu especialmente para o desenvolvimento desta indústria.

O total de bordadeiras no século XVI era mesmo considerável.

Uma das manifestações mais interessantes de arte industrial provocada pelo contacto dos portugueses com o Oriente é constituída pelos bordados.

Foram as Descobertas…

As colchas da Índia e da China, bordadas a matiz e a ouro, eram vulgaríssimas em Portugal e ainda é importante a quantidade que existe, na sua maior parte no poder de particulares.

Eram restos do abundante espólio, que os portugueses colheram da Índia no século XVI.

Os lusos guerreiros não se esqueciam de trazer consigo aqueles ricos bordados orientais.

Em Portugal, foi nos conventos que a arte de bordado adquiriu grande perfeição pois constituía o trabalho quotidiano.

É por esta razão que nas antigas crónicas se lhes dá muitas vezes o nome de obra de monjas.

Não eram, porém, apenas as mulheres dedicadas à vida claustral que se entregavam ao trabalho de fiar, coser e bordar.

Essas ocupações tomavam grande lugar na existência das mulheres nobres exercitando-lhes a delicadeza das mãos e do gosto.

O bordado auxiliava a suportar o isolamento das casas senhoriais, num tempo em que os homens se retinham em países longínquos, e numa época em que a raridade das comunicações tornava as mudanças de lugar difíceis e confinava a mulher no interior da sua habitação, – rainha no seu lar.

O bordado alcançou, no entanto, em Portugal, o seu renascimento no tempo de D. João V que encheu algumas igrejas com bordados, a maioria importada, podendo-se observar grande soma deles no convento de Mafra.

Hoje, entende-se por bordados portugueses, os bordados típicos, próprios de certas regiões, onde se instituíram e conservam tradicionalmente.

Lindas madeirenses executando os famosos Bordados da Madeira

Bordados de Portugal

São

– os bordados a seda frouxa de Castelo Branco em matiz decorativo;

– os bordados de Viana do Castelo em lãs ou algodão, em tule ou a ponto de cruz;

– os crivos e bordados a cheio de Guimarães;

– os bordados a branco da Ilha da Madeira tão famosos;

– os crivos e bordados a matiz dos Açores;

– os fios tirados, sem ou em crivo dos alinhavados, caramelos, ou desfiados de Niza;

– as tapeçarias de Arraiolos,

e toda uma infinidade de géneros onde a mulher portuguesa em todos os lares, desde o mais humilde ao mais rico, evidencia a sua grande arte.

Fonte: “Duas Pátrias” – nº1 (Julho de 1954)