Janeiras cantadas pelo GEA, apesar da pandemia!

Janeiras, apesar da pandemia

Apesar da pandemia, as Janeiras chegaram a casa de muitas famílias, pela voz do Grupo Etnográfico de Areosa (GEA).

O GEA acabou de lançar um novo videoclipe com a canção “Rosas Perfumadas”, que faz parte do seu repertório de Janeiras.

Esta canção é cantada todos os anos pelas ruas da freguesia da Areosa –  concelho de Viana do Castelo – Minho, durante as noites frias do primeiro mês do ano.

Rosas Perfumadas” é da autoria de João Ferreira, e foi oferecida ao Grupo Etnográfico de Areosa aquando da celebração do seu 50º aniversário.

Esta tem sido uma das canções preferidas dos seus componentes, a par da canção “Boas Festas”, do maestro José Pedro, ou de canções de autoria dos próprios membros desta Associação Cultural.

Impedidos de tocar e cantar pela freguesia, animando os serões de quem visitam, este jovial grupo de rapazes e raparigas, bem agasalhados, e de lampião na mão, resolveram gravar e divulgar um novo videoclipe.

Deste modo, querem que todos saibam que, apesar das restrições, a tradição das Janeiras não foi esquecida, desejando, assim, um Bom Ano a todas as famílias que os vão ouvir através das redes sociais.

Tendo em conta a atual situação, especialmente no que concerne aos impactos que a pandemia tem gerado na Cultura e, em especial, em associações culturais congéneres, de norte a sul do país, espera-se que este novo trabalho traga algum alento a outros voluntários da cultura popular, e que a porta que se vê abrir no videoclipe seja, simbolicamente, “uma porta de esperança” para todos.

Filmagens em segurança

Esta foi uma filmagem segura, uma vez que

– o distanciamento físico recomendado pelas autoridades de saúde foi assegurado,

– a equipa técnica foi reduzida ao mínimo indispensável

– e os intervenientes foram filmados em pequenos grupos e em diferentes horários.

Todas as pessoas usaram máscara, com exceção dos momentos de efetiva filmagem individual, ou com o respetivo agregado familiar, e os objetos utilizados foram devidamente desinfetados.

 

Nota à imprensa do GEA