Instrumentos Musicais Tradicionais em Portugal

Minho

No Minho os instrumentos mais importantes são os conjuntos instrumentais das Rusgas, da Chula, e também dos Zés-Pereiras.

Trás-os-Montes

Em Trás-os-Montes, além dos conjuntos instrumentais do Gaiteiro e Tamborileiro. Tem também importância o Pandeiro, membranofone de forma quadrangular, geralmente tocado pelas mulheres a acompanhar todo o género de cantares de festa.

Beira Litoral

Também nesta região, além do conjunto instrumental dos Zés-Pereiras e do Fado (de Coimbra), teve particular importância a Viola Toeira, nomeadamente na região de Coimbra, onde hoje infelizmente já não existe nenhum tocador.

Beiras Interiores (Beira Alta e Beira Baixa)

Sobretudo na Beira-Baixa, o Adufe é o instrumento mais importante da região. Ele é aí tocado com grande maestria, imaginação e paixão, tanto em festas profanas como religiosas, alvíssaras da Páscoa e Romarias. A Flauta Travessa e a Palheta são passatempo individual de pastores.

Na região do Fundão tem grande importância os Bombos.

A Viola Beiroa, além das funções de passatempo, era também um instrumento cerimonial usado na Dança da Genebres e outras que tinham lugar na festa da Senhora dos Altos Céus, na Lousã, e nas Folias do Espírito Santo, de grande importância nesta região.

Estremadura

Na Estremadura, o Acordeão, se bem que seja um instrumento muito difundido por todo o país, tem um lugar muito especial nos bailes acompanhando o fandango, o passecate, o verde gaio, a contradança, etc.

Também a Gaita-de-foles é um elemento imprescindível dos Círios da região. Em Lisboa tem grande destaque a Guitarra Portuguesa e o Violão, por vezes acompanhado pelo Violão Baixo, no conjunto do Fado (de Lisboa).

Alentejo

No Alentejo existem três formas instrumentais: Tamboril e Flauta na região além Guadiana. O Pandeiro quadrangular e a Pandeireta, mais a norte da província. Mais a sul, a Viola Campaniça como instrumento acompanhador do canto e animador dos bailes da região.

Algarve

No Algarve além dos instrumentos de tuna e do Acordeão, na região da serra encontra-se com frequência a Flauta Travessa, feita de cana.

Açores

Os instrumentos mais importantes das ilhas dos Açores são as violas com dois tipos distintos: a Viola Micaelense, com a boca em forma de dois corações, e a Viola Terceirense, com a boca redonda. Ambas se usam em ocasiões festivas a solo ou a acompanhar o canto e a dança, nas romarias, aos serões.

Também nas festas do Espírito Santo, de grande importância em todas as ilhas, os Foliões, grupos de tocadores que acompanham os vários momentos da festa e tocam o Tambor da Folia, juntamente com o Pandeiro, fuste de pandeireta sem pele, na ilha de S. Miguel.

Nas ilhas de S. Maria, Flores e Corvo o acompanhamento do tambor é feito com os Testos, pequenos pratos metálicos que se batem um contra o outro.

Madeira

Na Madeira têm grande importância os conjuntos formados pelos instrumentos de corda:

– a Viola de Arame,

– o Rajão, 

– a Braguinha

– e a Rabeca ou Violino, que acompanham os cantadores e a dança nas festas públicas que se realizam na ilha.