Instrumentos musicais populares portugueses

 

Pequeno Guia para a Recolha de Instrumentos Musicais Populares | Distribuição regional dos instrumentos musicais populares – Ernesto Veiga de Oliveira – 1975

 

Minho

Rusgas: conjuntos instrumentais populares de carácter festivo – Viola braguesa, Cavaquinho, Violão, Tambor pequeno, Reque-reque (Braga, Esposende e Barcelos), Ferrinhos, Clarinete, Ocarina, Flauta, Guitarra, Rabeca, Banjolim, Conchas, Seixos, Castanholas, Harmónica, Acordeão, Concertina, Zuca-truca (Guimarães).

Zés-pereiras: conjuntos instrumentais populares de carácter cerimonial – Bombo, Caixa-tarola, Gaita-de-foles, Clarinete, Flauta, Pratos.

Nota: Os zés-pereiras das áreas de Basto, Amarante, Porto e Mareantes são constituídos apenas por Bombos e Caixas.

Rogas: ranchos de homens e mulheres da Serra Duriense contratados para as vindimas do Douro e cujos alegres cantares têm por instrumental – Bombo, Ferrinhos, Gaita-de-beiços, Viola, Guitarra, Violão, Banjolim, Concertina, Assobio.

Chulas: geralmente modas vivas e festivas, cantares ao desafio ou coreográficos (região de Amarante, Terras de Basto, etc.) – Rabeca chuleira, Viola amarantina, Violão, Tambor pequeno, Ferrinhos, Banjolim, Harmónica, Castanholas (Barqueiros).

“Calhandras” – Autos da Adoração dos Pastores (Terras do Gerês): Flauta, Pandeiro, Ferrinhos, Castanholas, “Calhandra” (idiofone especial da região de Barcelos).

 

Trás-os-Montes

Gaita-de-foles, Bombo, Caixa: Constituem pequenos conjuntos tradicionais designados genericamente por gaiteiros.

Tamboril e flauta: Tocados ao mesmo tempo por uma só pessoa – o Tamborileiro (Região de Miranda do Douro).

Pandeiro quadrangular: Tocado exclusivamente por mulheres, em ocasiões festivas (Região de Miranda do Douro).

Pandeiro quadrangular, Conchas (chamadas “Ferranholas“), Castanholas, Ferrinhos: Acompanhavam as canções de fiadeiro, etc. (Região de Vinhais),

 

Beira-Alta ocidental

Flauta travessa

Instrumentos de tuna

Pífaro e Caixa: Acompanham a Dança das Trancas, em Sameiro (Manteigas) e Verdelhos (Covilhã).

 

Coimbra

Viola toeira, Violão, Guitarra, Pandeiro, Ferrinhos, Harmónica, Cavaquinho, Concertina: São conjuntos acompanhando géneros musicais mais ligeiros.

Guitarra, Violão: Instrumental solista ou acompanhante do fado de Coimbra.

Gaita-de-foles, Bombo, Caixa: Conjunto dos gaiteiros.

Guitarra, Violão, Ferrinhos, Garrafa com garfo: Conjunto próprio para folguedos e danças de ruas – os fandangos, viras, malhões e farrapeiras, (Lavos – Figueira da Foz).

 

Beira-Baixa

Adufe: Usado correntemente em ocasiões festivas e em funções cerimoniais.

Bombo, Caixa, Flauta travessa: Constituem pequenos conjuntos designados por Bombos (Região do Fundão).

Palheta (de palheta dupla).

Zamburra, Almofariz, Garrafa com garfo: Acompanham, com o adufe, os cantos do Entrudo (Malpica do Tejo)

Acordeão, Concertina.

Viola beiroa ou Bandurra: Acompanha os descantes festivos, “parabéns” e “serenatas” aos noivos.

Viola beiroa, Genebres (espécie de xilofone), Trinchos: Acompanham a Dança dos Homens (Lousa).

Guitarra: Intervém na Dança das Virgens (Lousa).

Tambor: O instrumento obrigatório, por vezes único, que figurava nas “Folias” do Espírito Santo, (Região do Fundão).

Nota: Constituem várias formas instrumentais das “Folias” do Espírito Santo nesta região:

Tambor, Bandurra, Pratos chamados Chim-chim (Fatela);

Tambor, Trinchos (Escarigo);

Tambor, Pratos, Trinchos (Capinha);

Tambor, Viola, Pandeiro (Fundão):

 

Estremadura

Concertina, Harmónica, Gaita-de-beiços, Guitarra, Banjo, Flauta: conjuntos populares que tocam música festiva e coreográfica regional (de Alcobaça para o Sul)

Gaita-de-foles: figurava em todas as festas, sem qualquer outro instrumento; subsiste nas áreas de Caldas da Rainha e Torres Vedras.

Violão, Guitarra, Clarinete, Harmónica, Ferrinhos, Cântaro de barro com abano, Pinhas, Garrafa com garfo: Acompanham cantares e danças dos grupos folclóricos locais.

Gaita-de-foles: Aparecia outrora em várias festividades, na própria cidade de Lisboa.

Viola, cavaquinho: Acompanhava modinhas e lunduns.

Bandolão, Bandoloncelo, Violão baixo: Instrumentos de tuna, de carácter popular citadino.

Guitarra, Viola (Violão): Ligadas a uma forma musical específica – o fado de Lisboa.

 

Ribatejo

Cavaquinho, Viola (Violão), Instrumentos de Tuna (como o Violão Baixo), Guitarra, Gaita-de-foles, Gaita de boca, Harmónica, Acordeão, Concertina, Pandeireta, Castanholas, Flauta de Cana, Ferrinhos, Cântaro com abano, Garrata com garfo, Cana aberta (castanhola de cana)

Gaita-de-foles, acompanhada pelo adufe ou pela caixa: Existia nas áreas de Abrantes e Mação.

 

Alentejo

Tamboril, Flauta: (Concelhos de Moura, Serpa e Barrancos).

Viola campaniça: (Distrito de Beja e outras zonas próximas). O Adufe, chamado “Pandeiro” (Norte do Alto Alentejo).

Sarronca, chamada Zambomba ou Zabomba: Encontra-se como instrumento de Natal (Região de Elvas e zona de além-Guadiana).

 

Algarve

Flauta travessa, chamada “pífaro” ou “gaita”: De uso esporádico.

Acordeão, chamado “Fole”, Harmónica de boca chamada “flaita”: para acompanhar cantares e danças.

Viola (violão), Tambor, Ferrinhos, Instrumentos de tuna (Bandolim/ Cavaquinho, Bandoloncelo, Violão Baixo).

Violão, Guitarra, Bandolim, Harmónica, Ferrinhos, Garrafa com garfo: Acompanham as Janeiras e Reis (Alportel).

 

Instrumentos para marcar o ritmo e acompanhar a dança: Tambor. Pandeireta.

 

Percutivos

No conjunto instrumental: Ferrinhos, Conchas, Seixos, Placas de xisto, Almofariz, Garrafa com garfo, Pinhas (Nazaré), Cântaro com abano, Cana aberta.

Usados pelos dançadores: Castanholas, Varapau (Cano, Alto Alentejo), Paus (Miranda do Douro), Genebres (Lousa)

Instrumentos da Semana Santa, Carnaval, Serração da Velha, Assuadas e Troças.

Matraca (de arcos ou de martelos), Rela, Barulhentos (Reque-reque, apito, buzina, Castanholas de cabo, Latas, Seixos, Paus, etc.), “Rouxinol” de pau (Alpedrinha, Beira Baixa), “Rouxinol” de cana, com água (Miranda do Douro), Zambomba (Braga), “Zaclitrac” (Montedor, Viana do Castelo), Chocalho, Guizo, Campainha (do gado), Cabaça com pedras, Assobio, Corneta, Corno, Búzio, Funis, Latas, Sarronca (Tourém, Trás-os-Montes), Chocalhos (Tourém), Garrafa com garfo, Almofariz, Pandeiro, Zamburra (Malpica do Tejo).

Instrumentos de certas profissões

Corneta e assobio de caça, “Reclamo” de perdiz, Chocalho, Campainha e Guizo (do gado), Gaita e Corneta (Azeiteiros), Corno, Búzio (pescadores), Gaita (Amoladores).

Instrumentos de passatempo individual:

Flauta, Flautinha, Palheta, Ocarina, Berimbau, Gaita-de-beiços.

Instrumentos – Brinquedos

Gaita, Assobio, Ocarina (de caroço de bugalho), Flauta, Pifre ou pífaro, Trombone, Castanholas, Lingoreta (de cano, calmo, pé de abóbora, etc.), “Rabeca” (de cana de milho), Rouxinol, Rela, Matraca, “Castanholas” (do tipo de Almeirim: espécie de Genebres), “Zangão” (régua furada que zune com o movimento que se lhe imprime), Xi-xi (Portalegre), Castanholas (Olmos, Macedo de Cavaleiros), Tréculas (Barcelos), Tabuínhas (Carrazeda de Anciães), Chincalho (Estremoz).

Instrumentos de barro:

Flauta, apito, ocarina (Barcelos, Estremoz, Felgar), Campainha de barro (Santo António de Olivais, Coimbra).

(Texto mimeografado, elaborado no âmbito do Plano “Trabalho e Cultura” do Serviço Cívico Estudantil do Ministério da Educação (doc nº 11), referente ao território de Portugal Continental. Digitalizado e revisto por Domingos Morais em 1999.) Fonte

 

[themoneytizer id=”19156-16″]