I Encontro de Cantares do Ciclo Natalício de Ramalde

No próximo dia 14 de dezembro de 2019, com início marcada para as 21h30, vai realizar-se, no Auditório da Paróquia de Ramalde – Porto, o I Encontro de Cantares do Ciclo Natalício de Ramalde.

A entrada livre

Neste Encontro de Cantares do Ciclo Natalício vão participar os seguintes Grupos de Folclore:

Rancho Folclórico de Ramalde | Porto – Douro Litoral Norte

Com cerca de 40 elementos o Rancho Folclórico de Ramalde, fundado em 29 de Novembro de 1985, exprime as danças e cantares da sua região, fiel à ancestralidade do Douro Litoral, num vasto reportório encimado pela tradicional dança de Ramalde – A Ramaldeira, que tem sido mostrada nas mais variadas paragens, em Portugal e no Estrangeiro. Ler+

Rancho Folclórico de Pindelo de Silgueiros | Viseu – Beira Alta

No ano de 1938, em Pindelo, nasceu o Rancho Folclórico de Pindelo de Silgueiros que nas décadas de 40 e de 50 granjeou fama devido à qualidade das suas danças e cantigas, sendo prova disso a sua participação, por várias vezes, nas Marchas da Aldeia que tinham como palco principal a Feira de S. Mateus.

As cantigas de raiz campesina transportam-nos para vários ambientes: amor, namoro, saudade, infortúnio, beleza feminina, trabalho, romaria, sátira popular, mundo religioso.

Os trajes são cópia fiel dos usados em fins do séc. XIX e princípios do séc. XX, destacando-se: os domingueiros, os de romeiros, os de noivos, os de lavradores ricos, os de ir ao sermão e os de trabalho.

A tocata inclui os seguintes instrumentos: acordeão, violino, bandolim, viola, cavaquinho, bombo e ferrinhos. Ler+

Rancho Folclórico S. João Baptista de Nogueira | Braga – Baixo Minho

Fundado a 22 de Fevereiro de 1994, o Rancho Folclórico São João Baptista de Nogueira, Braga, é considerado um dos mais emblemáticos embaixadores do folclore do Baixo Minho.

História da Freguesia de Ramalde

A freguesia de (S. Salvador de) Ramalde é mencionada pela primeira vez com o nome arcaico de Rianhaldy nas Inquirições de D. Afonso III, em 1258.

Porém, já aparece citada anteriormente, como lugar num documento de 1222 no qual a rainha Mafalda faz uma doação ao Mosteiro de Arouca.

A origem e crescimento do povoado de Rianhaldy perde-se nos tempos, antes da fundação da nacionalidade, provavelmente entre 920 e 944, data em que chegaram ao território os monges beneditinos.

Assim começaria a história do julgado de Bouças e do seu antiquíssimo mosteiro. Este território pertenceu ao padroado real de D. Sancho I que depois o doou, em 1196, a sua filha D. Mafalda.

Na época de D. Sancho II esta parcela de território denominava-se Ramunhaldy e era constituído por cinco lugares: Francos, Requezendi, Ramuhaldi Jusão e Ramuhaldi Susão (atualmente Ramalde do Meio).

Entre 1230 e 1835 pertenceu ao concelho de Bouças (ou Bouças de Matosinhos) o qual integrava, além de Ramalde, também S. Mamede de Infesta, Matosinhos, Aldoar, Nevogilde, parte de Paranhos (do concelho do Porto) e um conjunto de mais 20 povoações.

Em 1895, por decreto régio de D. Carlos, Ramalde é integrada no concelho do Porto juntamente com Aldoar, Nevogilde e parte da atual freguesia de Paranhos.

Os seus limites ficaram assim definidos: a norte, o concelho de Matosinhos (Bouças); a sul, a freguesia de Lordelo do Ouro; a levante, as de Paranhos e de Cedofeita e, a poente, a freguesia de Aldoar. Ler+

I Encontro de Cantares do Ciclo Natalício de Ramalde