Gonçalo Sampaio

Gonçalo Sampaio | Pessoas

Gonçalo António da Silva Ferreira Sampaio

Botânico, musicólogo e professor universitário. Nasceu em São Gens de Calvos, Póvoa de Lanhoso, no ano de 1865, e faleceu na cidade do Porto a 28 de Julho de 1937.

De origens humildes, foi com algum sacrifício de parentes e amigos que iniciou os seus estudos na cidade de Braga e os continuou no Porto.

Matriculou-se na Universidade de Coimbra com a intenção de se licenciar em Matemática. Mas desistiu do curso ao fim de um ano. Acabou por se formar em Ciências Naturais pela Academia Politécnico do Porto.

Em 1901 foi nomeado naturalista adjunto de Botânica e, em 1902, encarregado de dirigir os trabalhos dos alunos de Botânica. Em 1910, torna-se regente desta cadeira e, no mesmo ano, representa Portugal no Congresso Internacional de Botânica, em Bruxelas.

A partir de 1912, tornou-se professor catedrático de Botânica na Academia Politécnico do Porto, cargo para o qual foi nomeado, com distinção, e apenas 47 anos.

Foi, também, professor e director da Faculdade de Farmácia do Porto. São notáveis os seus estudos científicos, sobretudo os que dedicou aos rubus portugueses e aos líquenes do território pátrio.

Pôs o mesmo rigor científico e crítico ao serviço da música, da qual foi um apaixonado. Dedicou-se ao Folclore e às músicas tradicionais, reconhecendo-se como notável a sua recolha de canções populares, nomeadamente dos corais do Minho.

Entre a sua vasta bibliografia consta, no

Campo musical

Cantos Populares do Minho” (1927),

Subsídios para a História dos Músicos Portugueses (1934),

Cancioneiro Minhoto” (1934 – publicação póstuma).

Campo da Botânica

Estudo sobre a flora nos arredores do Porto” (1900),

Plantas Novas para a Flora de Portugal”, em seis volumes (1900-1903),

Alguns «Rubus» Novos para a Flora Portuguesa” (1904),

“«Rubus» Portugueses” (1904),

Plantas Novas para a Flora Portuguesa” (1910-1915), em dois volumes,

Estudos Botânicos” (1912) ,

Três Líquenes Novos” (1916),

Líquenes Novos para a Flora Portuguesa” (1916-1917), em três volumes, e

Iconografia Selecta da Flora Portuguesa” (1949 – publicação póstuma).

Fonte: O Grande Livro dos Portugueses, Círculo dos Leitores. Texto ampliado e adaptado.

Exit mobile version