Fandango | danças do povo português

Fandango

No ponto de vista musical o Fandango é semelhante ao vira, porém, baila-se de diferente maneira; de resto, o actual vira é o antigo fandango agora dançado em cruz.

Dança que nos veio de Espanha, o Fandango enraizou-se em Portugal, onde é bailado em quase todo o país desde há muito.

O Prof. Armando Leça, que tem estudado com particular atenção as canções e as danças populares portuguesas, dá o Fandango como dança que ainda hoje se baila no Douro Litoral, no Minho, em Trás-os-Montes (terras mirandesas), na Beira Litoral, na Beira Alta, na Beira Baixa, na Estremadura, no Alentejo e no Algarve.

Contudo, as regiões onde o Fandango é mais bailado e goza de maior preferência do povo é no Ribatejo, nas raias minhota e da Beira Baixa (Castelo Rodrigo e Idanha-a-Nova) e nas terras interiores da Beira Litoral (Pombal, Ancião, Figueiró dos Vinhos, etc.).

Velha dança espanhola, o Fandango é, também, uma dança portuguesa muito antiga.

Bocage refere-se a ele, e o escritor inglês Twirs, que visitou o nosso país em 1772, diz que viu o Fandango dançado em Portugal com grande galanteria e muita expressão.

Gil Vicente usa, às vezes, o termo esfandangado.

É o fandango uma dança de agilidade e sapateado, uma espécie de torneio no qual o homem pretende atrair as atenções femininas, salientando-se na presteza e plasticidade dos seus movimentos, transformando os pés em bilros.

Cada fandango é uma história de amor

Cada Fandango é, assim, uma história de amor na qual a mulher começa por aceitar o convite que o homem lhe dirige para bailar; este convite não é senão um colóquio em que os passos prolongam a força das palavras.

A mulher, cortejada, foge na esperança de ser perseguida; na ânsia de a conquistar, o homem vai atrás dela, até que ela, vencida pelo cansaço ou desejosa de encarar o perseguidor, suspende o jogo e se volta para ele.

De quando em quando, tanto o homem como a mulher, fingem-se amuados, pelo que se viram de costas um para o outro.

Os passos do Fandango são intercalados por voltas apertadas, ombro com ombro e largas — são as voltas de fuga em que a mulher se escapa e o homem procura apanhá-la, as voltas do cerco em que o homem impede a fuga da mulher, dançando em sentido contrário ao da companheira, aparecendo-lhe ao caminho no intuito de a obrigar a mudar de atitude.

O Fandango, como se vê nesta descrição, é a mais galante de todas as danças populares portuguesas e aquela que melhor exprime o sentimento amoroso do nosso povo.

De norte a sul de Portugal

No Ribatejo, na Beira Litoral e nas terras raianas do Minho e da Beira Baixa, bem como em algumas regiões do Alentejo e da fronteira algarvia é onde melhor se baila o Fandango.

No Ribatejo bailam-no ao som de harmónica (gaita de beiços) ou harmónio (gaita de foles); já, contudo, em Ferreira do Zêzere, na Serra de Tomar, em Mação e em Borba o bailam ao som de guitarra.

Nas terras mirandesas (Trás-os-Montes) bailam-no em roda.

Há uma dança que é uma miscelânea de Vira e Fandango: o vira afandangado. O verdadeiro vira afandangado parece ser o do Ribatejo, onde, muitas vezes, o bailam em cima de mesas.

O vira afandangado do Minho – vira galego – é de feição vocal e baila-se aos pares, de roda.

O fandango foi levado para o Brasil

A voga do Fandango entre os portugueses está de tal maneira arreigada no seu gosto que o levaram para o Brasil.

Nos estados do nordeste brasileiro baila-se o Fandango; porém, nessas regiões, não lhe dão tal nome mas sim outros nomes que bem denotam que foram os portugueses que para lá levaram essa dança: «bailado dos marujos», «dança dos marujos», «marujada» «chegança dos marujos» ou «barca».

No Paraná, em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul (terras do Brasil) a palavra «fandango» quer dizer «festa», «baile» ou, simplesmente, reunião onde se dança.

Maneira de dançar o fandango

Como já se disse, há terras (principalmente no Ribatejo) onde o Fandango se baila em cima de mesas.

Na Beira Baixa (Sernancelhe) baila-no tanto «agarrado» como «desapegado», com acompanhamento de harmónica, bombo e ferrinhos e aos grupos de 2, 4, 6 e 8 pares.

No Alentejo (Vila Verde de Ficalho) bailam-no com gaita-de-foles, pífaro e castanholas.

No Algarve (Alte) com guitarra, pífaro, castanholas e, às vezes, com bandolim.

O Fandango dança-se, sempre, a três tempos.

Posição inicial

Os pares colocam-se, frente a frente, em linha recta.

1.º passo

O pé esquerdo avança para a direita e coloca-se em frente do pé direito, o qual bate no chão imediatamente mas sem se desviar; logo em seguida, o pé esquerdo volta a ocupar a primeira posição.

2.º passo

O pé direito avança para a esquerda e coloca-se em frente do pé esquerdo que, por seu turno, bate no chão sem se desviar, indo o pé direito para a direita a fim de regressar à primeira forma.

3.º passo

Os pares desviam-se em movimento contrário e cruzam-se, sempre com passos saltadinhos.

Partitura

Partitura do fandango - Dança do Ribatejo

Fonte: “Danças do Povo Português”, Tomaz Ribas (texto editado e adaptado)