Jornadas Internacionais de Etnografia – Leiria 2021

Jornadas Internacionais de Etnografia

Vão realizar-se no próximo dia 20 de novembro de 2021, das 9h às 17h30, as “Jornadas Internacionais de Etnografia – Leiria 2021” (JIEL 2021).

Estas jornadas vão lugar no Auditório do Museu Etnográfico do Freixial em Arrabal, Leiria, e são organizadas pelo Município de Leiria.

Estas jornadas surgem da necessidade de aprofundar o estudo amplo da Etnografia, apresentando fontes de conhecimento de diversas áreas e valências, oriundas de diversos lugares do mundo, tendo como base a pesquisa e investigação dos historiadores, antropólogos e investigadores que aprofundam o seu trabalho, incluindo o estudo no terreno, com o intuito de valorizarem, através da pesquisa e registo, as tradições, tendências e capacidades dos povos.

Assim, o Município de Leiria reúne, nestas Jornadas, um conjunto de estudiosos, aliados a temas de interesse transversal, e instituições académicas e culturais com referência mundial.

A sessão de abertura,

às 09h30, contará com as intervenções

– do presidente da Câmara Municipal de Leiria (Gonçalo Lopes),

– do Presidente do Politécnico de Leiria (Rui Pedrosa),

– do Presidente da Fundação INATEL (Francisco Madelino),

– da Presidente da Junta de Freguesia do Arrabal (Helena Brites)

e do coordenador das JIEL 2021 (Adélio Amaro).

As Jornadas irão decorrer em três painéis, com palestrantes oriundos do Brasil, do Chile, da Grécia, do México e de Portugal (incluindo Açores), abordando os

Temas

– “Olhares Antropológicos: Da Pesquisa ao Terreno”;

– “Música Tradicional, Processos de Promoção e Salvaguarda” e

– “Editar a Memória como Construção do Futuro”.

As JIEL 2021 são uma aposta forte do Município de Leiria, tendo a parceria da Fundação INATEL e a colaboração de um conjunto de instituições de enorme relevo e forte credibilidade, nomeadamente

– o Politécnico de Leiria;

– o Mosteiro da Batalha / DGPC – Direção Geral do Património Cultural;

– o Instituto Histórico e Geográfico de Santa Catarina (Brasil);

– a Sociedade Iberoamericana de Antropologia Aplicada, Salamanca (Espanha);

– o Grupo de Investigación en Mvseus y Patrimonio Iberoamericano (Espanha);

– o Centro do Património da Estremadura (Portugal);

-a Associação Folclórica da Região de Leiria – Alta Estremadura;

– o Museu Etnográfico do Freixial;

– a Casa-Museu da Magueigia, Santa Catarina da Serra;

– a Associação Bajouquense para o Desenvolvimento;

– a Academia de Letras e Artes de Paranapuã, Rio de Janeiro (Brasil);

– a Académi des Lettres et Arts Luso-Suisse (Suíça);

– a Eco Academia de Letras, Ciências e Artes de Terezópolis de Góiás (Brasil) e

– In/Comparáveis Agência (Brasil).

Para marcar presença nesta Jornadas é fundamental fazer registo (gratuito) através do e-mail culturapopular@cm-leiria.pt para que a inscrição presencial fique confirmada.

GF Casa de Portugal preside ao Dia da Cultura de Andorra

Dia da Cultura de Andorra

Hoje, quarta-feira, dia 27 de Outubro, vai celebrar-se o Dia da Cultura no Principado de Andorra.

Esta iniciativa vai ser organizada pela Ágora Cultural, plataforma que agrupa 26 entidades culturais do país [ver convite abaixo].

Pelas 10h30, hora local, o hall do Parlamento andorrano vai acolher este evento que, no presente ano, conta com a presidência do Secretariado a cargo do Grupo de Folclore Casa de Portugal, coletividade sediada no Principado, e que integra a plataforma desde 2014.

O convite para a leitura do Manifesto Cultural foi efetuado pelas entidades que constituem a plataforma, por motivo das celebrações do 25º aniversário do Grupo.

A seguir à leitura do Manifesto Cultural, que será feita por José Luís Carvalho, Diretor Artístico do Grupo, os elementos do Grupo de Folclore Casa de Portugal, trajados “à moda” do Alto Minho, vão apresentar um dos momentos musicais com uma dança do seu repertório.

Na mesma cerimónia vão ser entregues os prémios Ágora Cultural 2020, que reconhecem o trajeto meritório de pessoas que, durante anos, contribuíram para enriquecer a cultura andorrana. O troféu é uma obra do escultor catalão Philippe Lavaill.

O evento vai contar ainda com

– um breve concerto pelo Instituto de Música do Comú de Andorra la Vella, e os discursos de

Rosa Suñe i Pascuet, Presidente do Parlamento de Andorra

– e de Silvia Riva i Gonzalez, Ministra de Cultura e Desporto,

na presença de diversas personalidades da área da política, cultura e sociedade civil.

Mais uma vez, o Grupo de Folclore Casa de Portugal, com sede no Principado de Andorra, eleva mais alto o nome de Portugal e da Cultura Popular Portuguesa, particularmente da região do Alto Minho.

Este Grupo continua a ser, após 25 anos da sua fundação, uma referência paradigmática para todos os Grupos de Folclore existentes nas Comunidades de Portugueses espalhadas pelo mundo.

 

GF Casa de Portugal na Fira d’Andorra la Vella 2021

Grupo de Folclore Casa de Portugal reafirma portugalidade na Fira d’Andorra la Vella 2021.

Encerrou, no passado dia 24 de outubro, domingo a 42ª edição da Fira d’Andorra la Vella, iniciativa que recebeu, durante os 3 dias da mostra multisectorial, cerca de 70.000 visitantes.

O espaço onde decorreu a Fira d’Andorra la Vella 2021 ocupou uma superfície de 10.000 m2, distribuídos em duas áreas cobertas com 150 expositores, e um espaço exterior que incluía um palco para as atividades culturais e de lazer.

O Grupo de Folclore Casa de Portugal marcou presença durante os três dias do evento, com um stand na Feira de Associações e no sábado, as danças e as cantigas tradicionais marcaram presenças no palco da Fira.

A elegância dos trajes minhotos e a vivacidade das danças tradicionais mereceram calorosos aplausos do enumero público assistente no Parc Central da capital andorrana.

Foi precisamente na edição da Fira de 2019 que o Grupo representou o folclore português antes da paragem forçosa devido à pandemia.

Nesta edição, o stand foi decorado com 58 fotografias dos elementos do Grupo, em grande formato, sob o lema: “Quem vê caras, vê corações”, para comemorar o 25º aniversário da coletividade e a dedicação de todos eles em enaltecer a cultura popular portuguesa em Andorra e nos países que tem visitado.

Os visitantes puderam adquirir produtos gastronómicos portugueses, já que não estava permitido o consumo devido às restrições sanitárias provocadas pelo Covid-19, e interagir com os elementos do Grupo apreciando o artesanato exposto.

Além do Grupo de Folclore Casa de Portugal, marcou também presença a Casa de Trás-os-Montes e Alto Douro e o Rancho Folclórico dos Residentes do Alto Minho em Andorra.

Bodas de Prata do Grupo de Folclore Casa de Portugal

O Grupo de Folclore Casa de Portugal está a celebrar as bodas de prata da sua fundação, em 1996, e além das atividades levadas a cabo desde o início do ano, como

– a plantação de uma árvore em Andorra la Vella,

– o lançamento do livro Memórias de prata ,

– e a inauguração da exposição Retratos de hoje e de antes,

tem previsto ainda a participação na próxima quarta-feira no dia da cultura de Andorra e um conjunto de iniciativas culturais nos próximos meses.

 

GF Casa de Portugal regressa aos palcos

Grupo de Folclore Casa de Portugal regressa aos palcos com atuação na Fira de Andorra la Vella.

No próximo fim-de-semana (22 a 24 de Outubro) vai decorrer a 42ª edição da Fira de Andorra la Vella.

Este evento vai reunir, no presente ano, na capital do Principado de Andorra 150 expositores numa superfície de mais de 10.000 metros quadrados.

A inauguração está prevista para as 11 horas de sexta-feira, dia 22, depois do longo interregno que se verificou, devido à crise sanitária provocada pelo Covid-19, e que afetou a atividade económica e cultural do país durante mais de um ano.

O Grupo de Folclore Casa de Portugal retoma, assim, a sua atividade nos palcos com atuação prevista para sábado, dia 23, pelas 17h40, no palco do recinto da feira multi-sectorial.

Pretende-se, mais uma vez, proporcionar aos visitantes da Fira de Andorra la Vella momentos de cultura tradicional portuguesa, através da apresentação de danças e cantigas do cancioneiro popular do Alto Minho.

Além da atuação, e como vem sendo habitual, o Grupo participa também, durante os 3 dias que decorre o evento, na Feira de Associações.

Nesta Feira das Associações, formada por cerca de 50 entidades, o GF Casa de Portugal vai estar presente com um stand, no qual os visitantes poderão adquirir produtos alimentares portugueses, artesanato e merchandising do mesmo.

Devido às medidas sanitárias, esta edição não permite a degustação de produtos alimentares como era habitual o Grupo apresentar, o que muito lamentamos.

Como é já do conhecimento geral, no presente ano, o Grupo de Folclore Casa de Portugal está a celebrar as bodas de prata da coletividade, pelo que nesta edição da Fira o stand estará especialmente dedicado a todos os elementos que compõe a entidade portuguesa sediada no Principado de Andorra.

Os bastidores das Festas da Agonia em livro

Jornalista luso-brasileiro vai retratar os bastidores das Festas da Agonia em livro

O jornalista Luso-Brasileiro Ígor Lopes está a preparar um novo livro-reportagem sobre as Festas da Agonia em Viana do Castelo, dedicado ao público brasileiro e lusodescendente.

O livro, que tem previsão de lançamento para ainda este ano, revela os bastidores das Festas da Agonia, a forma como cada ponto da programação é organizado e reúne um conjunto de fotos sobre o evento, produzidas pelo jornalista e por fotógrafos locais.

A ideia é apresentar ao público da América do Sul, sobretudo do Brasil, o trabalho feito por Viana do Castela para promover a cultura e as tradições locais.

Por isso, conversei com várias pessoas ligadas ao evento, desde a parte religiosa, passando pelos aspetos da segurança pública e a forma como cada vianense vive a Romaria”, afirmou Ígor Lopes, que é autor de livros-reportagem que conectam Brasil e Portugal há vários anos.

“Festas da Agonia para brasileiros e luso-descendentes”

A obra, que tem o título provisório “Festas da Agonia para brasileiros e luso-descendentes”, vai abordar pontos como

– Tradição, Devoção, História e Festividade em Viana do Castelo,

– Formatação tradicional da agenda cultural durante o evento,

– Folclore e Etnografia,

– Festa do Traje,

– Orgulho em forma de traje,

– Cortejo Histórico-Etnográfico,

– Desfile da Mordomia,

– Procissão ao Mar,

– A imponência religiosa,

– Tapetes floridos,

– Procissão Solene,

– O Som dos Bombos,

– Estreitar laços com o mundo,

– Músicos dão tom ao espetáculo,

– A importância da Romaria da Senhora d’Agonia para Viana do Castelo,

– Respeito e a Comissão de Honra,

– O “Cartaz” das Festas,

– Estrangeiros Encantados,

– As Festas pelo olhar de quem as retrata em imagens,

– Viana turística,

– Locais de tirar o fôlego,

– Proteção Ambiental durante as festividades,

– Recantos que marcam os turistas,

– Cidade com anos de história,

entre outros.

O livro conta com o apoio da Câmara Municipal de Viana do Castelo e também com a participação de várias autoridades entre Brasil e Portugal.

Na imagem, a seu lado, está Mariana Ribeiro, Designer responsável pela capa do livro e pelas ilustrações. Mariana é natural da Covilhã, nos pés da Serra da Estrela.

Ígor Lopes é doutorando em Ciências da Comunicação, Mestre em Comunicação e Jornalismo, Especialista em Gestão de Redes Sociais e Comunidades e Licenciado em Comunicação Social, na vertente Jornalismo.

Nos próximos dias, teremos novidades sobre o lançamento da obra.

Este é o quinto livro da autoria deste jornalista.

Sugestão:Rancho Folclórico Maria da Fonte da Casa do Minho do Rio de Janeiro – A jornada do grupo português que valoriza a cultura minhota no Brasil desde 1954

Educação Cultural – Falando de Etnografia

“Falando de Etnografia” – “Educação Cultural”

No âmbito do projeto “Baile dos Pastorinhos”, vai realizar-se, no próximo dia 11 de setembro, na Junta de Freguesia de São Mamede, concelho da Batalha, um novo seminário de reflexão epistemológica denominado “Falando de Etnografia” que, desta vez, versará sobre “Educação Cultural“.

Este é mais um evento realizado no âmbito da Rede Cultura 2027 e que tem a possibilidade de ter participação online e presencial, das 09h30 às 17h, e que terminará com uma oficina de dança tradicional e popular, orientada pela professora Marisa Barroso.

Será uma oficina totalmente prática onde os participantes serão levados a conhecer detalhes dos passos, da formação, da posição e da evolução de cada dança.

Em simultâneo, e através de pequenos exercícios, serão introduzidas noções da estrutura rítmica, duração e andamento de cada dança.

Da programação consta

– «Fontes para a salvaguarda do património cultural», com a participação do Doutor Jaime Gouveia:

Jaime Gouveia, PHD – Historiador

Doutorado em História pelo Instituto Universitário Europeu de Florença, licenciado e mestre em História pela Universidade de Coimbra. Atualmente é investigador integrado do CHSC, docente convidado do Departamento de História, Estudos Europeus, Arqueologia e Artes da Universidade de Coimbra e professor da pós-graduação em História.

Vai-nos convidar a procurar novos meios e possibilidades para a salvaguarda do nosso património cultural e refletir em como isso contribui para a nossa «Educação Cultural».

– «Educação Cultural», com a participação de Paulo Alexandre Silva – músico

56 anos, natural de Pombal, Casado

– Em 1978 participou na criação de um grupo de música popular na Escola Secundária de Pombal;

– Em 1981 realizou um levantamento cultural na aldeia de Barrocal, Pombal;

– Entre 1983/1985 participou no Levantamento Cultural do concelho de Pombal (realizadas 5 freguesias);

– Desde 1981 que realiza levantamentos culturais sobre o Património Imaterial da Região de Sicó, possuindo um vasto espólio cultural;

– Fundador do projeto Euphonia, projeto de educação cultural para a música tradicional da região de Pombal;

– Fundador do projeto “Pé Fresco”, que tem como objetivo trabalhar as memórias musicais da região de Pombal com linguagem contemporânea;

– Fundador do projeto Museu Digital de Pombal;

– Fundador da Associação Costumes e Diálogos, que tem como objetivo criar um centro de estudos folclóricos da região de Pombal e fomentar um projeto de educação cultural para a etnografia regional;

– Autor de diversos documentários sobre o Património Imaterial da Região de Pombal;

Projeto “Baile dos Pastorinhos”

Lembramos que este projeto, “Baile dos Pastorinhos“, pretende criar oportunidades de conhecimento, de desenvolvimento e disseminação das danças e da cultura popular da Alta Estremadura.

Pretende, também, propor a salvaguarda e a divulgação de forma ativa com o uso das danças tradicionais e populares portuguesas na comunidade, procurando uma resposta inovadora a problemas da sociedade (exclusão e isolamento social e identitário), com a intervenção eficiente e relevante para a salvaguarda do património cultural imaterial da nossa região.

As inscrições podem desde já ser feitas através do seguinte link .

Inscrições para professores

Esta iniciativa é uma ação de curta duração acreditada pela ESECS destinada a docentes dos grupos 100, 110, 200, 210, 220, 240, 250, 260, 300, 400, 420 e 620. Inscrição.

Para quaisquer esclarecimentos adicionais, contactar: info@afrlae.pt

Esperamos a participação ativa e dinâmica de todos!

NOTA: todas as normas da DGS em vigor à data da realização do evento serão cumpridas escrupulosamente.

Associação Folclórica da Região de Leiria – Alta estremadura
Calçada da Fonte, Barreira
2410-023 LEIRIA

Convenção Internacional de Dança Tradicional e Popular

Convenção Internacional de Dança Tradicional e Popular

Nos próximos dias 30 e 31 de julho de 2021 vai realizar-se a Convenção Internacional de Dança Tradicional e Popular, uma iniciativa da AFRLAE (Associação Folclórica da Região de Leiria – Alta Estremadura) e da ESECS – Politécnico de Leiria.

Esta convenção constitui um momento de reflexão epistemológica sobre a dança tradicional e popular e apresenta-se como uma iniciativa de demarcação deste campo de estudos no nosso país.

Pretende-se potenciar um espaço de partilha conjunta das experiências da arte e cultura popular vividas pelos ranchos e dos resultados da investigação científica e de projetos e experiências inspiradores, nacionais e internacionais.

No primeiro dia, sexta-feira, 30 de julho, os trabalhos decorrerão a partir da ESECS – Politécnico de Leiria e no segundo dia, sábado, dia 31 de julho, as atividades realizar-se-ão em Ansião.

Em qualquer um dos dias, será possível a participação presencial ou à distância.

No sábado terá ainda lugar um Baile tradicional / Oficina de dança com música ao vivo pelo grupo AIRE, tendo a Professora Marisa Barroso como monitora de dança.

O evento formativo é inédito e inovador em território nacional, e destina-se a um público diversificado:

– professores e educadores do ensino básico e secundário,

– público em geral,

– agentes culturais, investigadores e interessados nas áreas em foco no evento: Dança, Música, Etnografia, Património Material e Imaterial.

A participação na convenção é acreditada como ação de curta duração, para educadores e professores dos ensinos básico e secundário (grupos 100, 110, 200, 210, 220, 240, 250, 260, 300, 400, 420 e 620)

NOTA: todas as normas da DGS em vigor à data da realização do evento serão cumpridas escrupulosamente.

Inscreva-se!

Inscrições com acreditação.

Inscrições sem acreditação.

Para mais informações 

Associação Folclórica da Região de Leiria – Alta Estremadura

Após algumas reuniões de trabalho com a finalidade da formação de uma Associação dos Ranchos Folclóricos do Concelho de Leiria, onde fosse possível, entre outros, os seguintes objetivos:

– Dar orientações para as recolhas, preservação e divulgação do Folclore e Etnografia;

– Promover Ações de Formação (Folclore e Etnografia, Administrativas e de Gestão);

– Organizar um Cancioneiro de Música Tradicional, com base nas recolhas dos ranchos, debater assuntos comuns aos Ranchos Folclóricos (Organização de Atividades; Apoios Técnicos da Federação do Folclore Português, da INATEL, Região de Turismo, Câmara Municipal, Juntas de Freguesia e demais entidades).

E pela decisão manifestada por 22 ranchos do concelho de Leiria, nasceu, assim, a 29 de Outubro de 1993, a então Federação dos Ranchos Folclóricos do Concelho de Leiria, que teve como primeiros responsáveis pelo movimento (Comissão), os representantes dos

– Rancho da Região de Leiria,

– Rancho Folclórico As Tecedeiras da Bidoeira de Cima,

– Rancho Folclórico do Coimbrão – Flores do Verde Pinho, e o

– Rancho Folclórico do Freixial.

Com o sucesso alcançado com a criação deste movimento concelhio e após a vontade manifestada pelos Ranchos Folclóricos dos concelhos limítrofes, foi proposta alteração dos estatutos e o alargamento da mesma a toda a região etnográfica da Alta Estremadura (todo o distrito de Leiria e ainda o concelho de Ourém), daí surge, então em 1997, a nova designação, passando a ser Associação Folclórica da Região de Leiria – Alta Estremadura, com o intuito de unir todos os agrupamentos que neste nosso vasto território etnográfico se propõe recolher, preservar e representar os usos e costumes das gentes alto estremenhas.

Ao longo da sua existência a Associação mantém vivas algumas manifestações culturais e de interesse coletivo em parceria com diversas instituições e autarquias, através de eventos que envolvem os grupos associados. Fonte do texto

“Retratos de hoje e de antes” – Portugal no início do séc. XX

“Retratos de hoje e de antes” levam Andorra ao Portugal dos inícios de século XX

Retratos de hoje e de antes” é o título da exposição que o Grupo de Folclore Casa de Portugal inaugurou no passado dia 7 de maio, sexta-feira, no Centro Cultural La Llacuna do Principado de Andorra.

Esta exposição, integrada na semana da diversidade cultural da capital do país, Andorra la Vella estará patente ao público até ao dia 28 de maio.

Para levarem a efeito esta iniciativa, os elementos do Grupo realizaram 18 fotografias de grande formato, no museu Casa Rull, museu Etnográfico Casa Cristo e museu Casa d’Areny-Plandolit, recreando vivências das gentes do norte de Portugal de inícios do século XX.

Uma viagem pela memória dos nossos antepassados, realizada pela fotógrafa Mireia Medeiros e coordenada pela Cami Gonçalves, ambas membros do Grupo.

Entidades presentes na inauguração

Esta exposição foi visitada pela Ministra da Cultura e Desporto do Principado, Silvia Riva, pela Cònsol (Presidente da Câmara) de Andorra la Vella, Conxita Marsol, pelo Vereador de Cultura e Assuntos Sociais do Comú de Encamp, David Cruz, o empresário José Costa, o Padre Albano Fraga e muitos dos elementos do Grupo que participaram na exposição, além de outras personalidades que não quiseram perder a oportunidade de reviver outros tempos.

Na inauguração, Silvia Riva destacou que o Grupo de Folclore Casa de Portugal “soube surpreender-nos ao fundir o folclore português e os museus de Andorra”.

Por sua vez, Conxita Marsol felicitou o Grupo “pelos 25 anos e pelo trabalho, iniciativa e novos projetos”.

Além da exposição, foi apresentada também a projeção dum documental, com entrevistas aos protagonistas, e como se realizou a reportagem fotográfica, tendo emocionado muitos dos presentes na inauguração.

Ver imagens da exposição.

Semana da Diversidade Cultural

A Semana da Diversidade Cultural terminou no dia 15 de maio, sábado, com uma exposição fotográfica, em grande formato, no parque central da capital andorrana, na qual o Grupo de Folclore Casa de Portugal contribuiu com o traje “à vianesa” no mosaico de culturas que integram a mostra.

Livro “Memórias de Prata” editado pelo GF Casa de Portugal

“Memórias de Prata”

O livro “Memórias de Prata” foi lançado no passado dia 29 de abril, quinta-feira à tarde, pelo Grupo de Folclore Casa de Portugal no âmbito das comemorações do 25º aniversário da coletividade portuguesa sediada no Principado de Andorra.

Dadas as medidas sanitárias e as limitações provocadas pela pandemia, cerca de 80 pessoas assistiram, no Complexo Sociocultural de Encamp, ao lançamento da publicação.

Destaca-se a presença da Ministra da Cultura e Desporto, Silvia Riva, que, a propósito, afirmou que o aniversário do Grupo “é motivo de suporte incondicional por parte do Governo de Andorra”, tendo dedicado a sua intervenção “a evidenciar a grande implicação cultural do Grupo”.

Por sua vez, o Vereador da Cultura e Assuntos Sociais do Comú de Encamp, David Cruz, referiu que o Grupo “traz uma riqueza cultural à paróquia de Encamp”.

Marcaram, ainda, presença o Embaixador de Andorra, Jaume Serra e o empresário José Costa, entre outras personalidades, elementos e ex-elementos do grupo.

O livro “Memórias de Prata”, da autoria de José Luís Carvalho, diretor artístico e um dos membros fundadores do Grupo, é constituído por 800 fotografias que recolhem as vivências da entidade enquanto promotor da portugalidade em Andorra.

Contém, também, mensagens

– da Ministra Sílvia Riva,

– do Presidente da Câmara de Viana do Castelo, José Maria Costa,

– do Presidente da Federação do Folclore Português, Daniel Calado Café,

– do empresário de Group Nova, José Costa,

– e do presidente da coletividade, Tomás Pires de Jesus.

A publicação, escrita em português e em catalão, inclui também momentos marcantes organizados pelo Grupo, tais como as Janeiras ou o Feirão e as atividades que a entidade tem colaborado para enriquecer a oferta cultural do Principado.

Outras atividades

No âmbito das celebrações das bodas de prata do Grupo de Folclore Casa de Portugal houve, ainda, a apresentação, no dia 1 de maio (sábado), de um vídeo nas redes sociais titulado “Vamos para o festival”.

No dia 14 de maio realizou-se a inauguração da exposição “Retratos de hoje e do passado”, que recria as vivências das gentes de Portugal a inícios do século passado, inserida na Semana da Diversidade Cultural de Andorra la Vella, e que vai percorrer diferentes museus de Andorra.

 

 

GF Casa de Portugal apresenta livro “Memórias de prata”

Livro “Memórias de prata”

No próximo dia 29 de abril, quinta-feira, pelas 20h00, no Complexo Cultural da cidade de Encamp, o Grupo de Folclore Casa de Portugal vai fazer o lançamento do livro “Memórias de prata”.

Esta iniciativa está integrada no programa das comemorações do 25º aniversário deste Grupo, que está sedeado no Principado de Andorra, e onde é particular embaixador das terras e gentes do Minho.

A cerimónia de apresentação vai contar com a presença da Ministra de Cultura e Desporto, Silvia Riva, bem como do vereador de Cultura do Comú d’Encamp, David Cruz, e ainda dos membros e ex-membros do Grupo que poderão relembrar as vivências que a coletividade realizou durante 25 anos.

A obra “Memórias de prata”, escrita em português e catalão, idioma oficial do Principado, é constituída por 180 páginas.

Nelas se podem observar as fotografias mais significativas da atividade do Grupo desde a sua fundação no ano 1996, até aos dias de hoje.

Conta, também, com uma recolha dos acontecimentos mais destacados e marcantes que a entidade cultural portuguesa no Principado de Andorra organizou ou deu o seu apoio, enriquecendo a oferta cultural do Principado, através da cultura tradicional nos seus diversos aspetos, potenciando, assim, a portugalidade nos vales de Andorra.

Várias iniciativas para celebrar Bodas de Prata

A apresentação do referido livro faz parte dum conjunto de iniciativas culturais que o Grupo programou, durante este ano, para celebrar as suas Bodas de Prata.

No âmbito das celebrações do 25º aniversário do GF Casa de Portugal, já foi feita a plantação de uma árvore no Parque Central de Andorra la Vella, no passado dia 21 de março. E, no próximo mês de maio, vai acontecer a inauguração de uma exposição fotográfica, que estará presente em vários museus do país.

Devido às medidas de proteção originadas pela emergência sanitária provocada pela Covid-19, o acesso será limitado e obriga a reserva prévia.

Nota à Imprensa do GF Casa de Portugal – Andorra (texto editado e adaptado)

Ação de formação não presencial sobre trajes – AFERAM

Ação de formação não presencial sobre Indumentária Popular Portuguesa

No âmbito do Plano de Atividades da AFERAM, Associação de Folclore e Etnografia da Região Autónoma da Madeira, vai-se realizar uma ação de formação não presencial, pela plataforma ZOOM, na próxima segunda-feira, dia 12 de abril das 19 às 21 horas, com o tema:

Indumentária Popular Portuguesa – contributos, achegas, considerações e opiniões,

com Gil Raro (alfaiate do povo).

Pode inscrever-se através do formulário disponível aqui.

Ou enviando um email para aferam.madeira@gmail.com, com o seu nome, email e nome de grupo ou associação a que pertence.

A formação destina-se para além de elementos de Grupos de Folclore a todos os interessados na Cultura Tradicional.

Antes da formação receberá através do seu email os dados para aceder à formação.

Esta atividade vem ao encontro do trabalho que a AFERAM tem vindo a desenvolver junto dos grupos de folclore associados, cujo intuito é incutir a continuidade do registo e divulgação das práticas culturais tradicionais e populares da Madeira, este ano, mais especificamente os trajes tradicionais dos homens da Madeira e Porto Santo.

AFERAM – Associação de Folclore e Etnografia da Madeira

Exit mobile version