Trajes de homem e de mulher | Trás-os-Montes e Alto Douro   

 

Trajes de homem e de mulher (arredores de Bragança – depois de 1916)

Os trajes de homem são: para a cabeça – chapéu, gorro ou boné. O gorro ou boné é de uso recente, vinte a vinte e cinco anos o máximo, e tardou a conferir-se-lhe foros de tolerância. Para a parte superior do tronco temos: jaqueta, também dita quinzena; colete; camisola e camisa; para a inferior temos: calças, também ditas pantalonas, que cobrem as pernas do meio da tíbia para baixo. Para os pés há: sapatos, também ditos butes, quando sobem algo do artelho para cima, e botas, quando têm canos altos; socos de madeira por baixo, muito grosseiros, quando são um pouco mais aperfeiçoados dizem-se socas; meias, meotes ou crepins; as meias sobem até pouco abaixo do joelho e os crepins ou meotes chegam um pouco abaixo do meio da tíbia.

Há ainda, para as mãos, luvas que tomam o nome de confortantes, quando apenas guarnecem parte da mão, deixando os dedos a descoberto.

O uso da capa de burel é geral.

As mulheres têm:

Mantilha– capa larga e comprida usada desde a cabeça ou desde os ombros até quase aos pés. No feitio é quase idêntico à capa eclesiástica ou à antiga capa liceal dos estudantes (evolução da toga romana?). É a capa solene, usada pelas mulheres de respeito.

Capucho – capa usada pelas mulheres; é de forma triangular e tapa desde os ombros até pouco abaixo das nádegas. Toma o nome de mandila quando é do formato quadrangular, embora sempre se use dobrada triangularmente no sentido diagonal.

Chaile – nesta região não chega à importância da mantilha.

Jaqué – casaco usado pelas mulheres, muito esticadinho e mal tapa a cinta.

Casaco redondo – amplo e desce até à cinta.

Casaco cintado – apertado, conforme os contornos do corpo, desce pouco abaixo da cinta.

Colete – igual ao que se usa por toda a parte.

Faixa – tira de pano felpudo, vermelho, que dá duas ou três voltas ao corpo, usada pelas mulheres logo por baixo do colete para agasalhar os peitos e apenas desce à cinta, ao contrário da faixa usada pelos homens, que é preta e raramente vermelha ou azul, enroscada em volta da cinta.

Garibalda – casaco redondo, mas de tecido ligeiro, próprio da estação calmosa.

Camisa – igual à das outras regiões.

Saia – igual à das outras regiões.

Saia de dentro – igual à das outras regiões.

Saiote – igual à das outras regiões.

Enágua – saia branca usada pelas mulheres junto ao corpo, quando a camisa apenas desce pouco abaixo da cinta.

Sapatos.

Chinelas.

Sócos.

Sócas.

Chalocas – socas de madeira por baixo, com a diferença que do meio do pé para trás o cabedal tem palmilha por baixo e não está pregado na madeira, facilitando assim o andar. Também lhe dão o nome de galochas.

Descrição feita por Pe. Francisco Manuel Alves, Abade de Baçal

Informações retiradas de “ETNOGRAFIA PORTUGUESA” – Livro III – José Leite de Vasconcelos

Imagem de destaque