Mons. Salvador Parente | Pessoas

 

Salvador Parente Ribeiro – Nasceu em Águas Santas, freguesia de S. Tomé do Castelo, concelho de Vila Real, em 1.2.1934. Ingressou no Seminário de Vila Real em 1944 e concluiu o curso Teológico em 1956. Logo nesse ano foi prefeito e professor de Latim, Matemática e Educação Física, no Seminário Diocesano de Figueira da Foz (até 1958). Foi ordenado padre em 1958 e, desde esse ano até 1967, foi pároco de Vale de Nogueiras (Panóias).

Em 1962, com a abertura do Externato Liceal Fernão de Magalhães, em Sabrosa, foi nomeado Prof. de Matemática, Físico Químicas e Educação Musical. Em 1967 foi nomeado pároco de Vilarinho de S. Romão. Dois anos depois (1969) foi transferido para a Paróquia de Provesende e S. Cristóvão do Douro (que lhe era anexa).

Em 1972 foi nomeado Professor Oficial de Educação Musical e de Português. Em 1973 frequentou a Universidade Católica de Braga. No ano seguinte pede a transferência para a Faculdade de Filosofia do Porto, obtendo o bacharelato, em 1976. Em 1977 fez estágio para o Magistério do 1.° grupo, na Escola Preparatória Diogo Cão, de Vila Real. Em 1978 termina o estágio e passa a prof. efectivo do 1.° grupo na Escola de Tabuaço.

Em 1979 transita para a Escola Preparatória Ferrão de Magalhães, em Sabrosa. Nesse mesmo ano conclui a licenciatura em Filosofia (9.7.79). Em 1984 é nomeado pároco da Freguesia de Andrães, em Vila Real e passa a Prof. efectivo do 1.° Grupo da Escola Mon. Jerónimo Amaral, ensinando Português.

Em 1985 funda e coordena o jornal escolar: A Garotada, da responsabilidade organizativa do Clube Etnográfico. Em 1995 aposentou-se do ensino e foi nomeado pároco de Abaças (anexa a Andrães). Em 1997 passa a leccionar Português no Seminário de Vila Real. No mesmo ano foi elevado à dignidade de Monsenhor.

[Pode ler, O Porco no Rifoneiro Português
(conjunto de provérbios e ditos populares sobre o porco, recolhidos e sistematizados por Mons. Salvador Parente]

É autor das seguintes obras: Cancioneiro Transmontano 1Cantigas da Roda – Ed. C.M. Vila Real. Tem preparados: II Cancioneiro Agrícola e III Miscelânea), 1989; Contos tradicionais transmontanos, 1993; Cantares do Marão, 1994; Rudes Penedias (recolha de tradições, costumes e expressões idiomáticas regionais que vem fazendo desde 1991 e que está a ser publicada pela Tellus – Serviços Municipais de Cultura).

Tem várias obras inéditas, mas já tituladas: Justiça dos Homens; O Emigrante; Mais um copo; Onde há galo e canta a Galinha; Um médico distraído; A Mourinha de Provesende; Quadros Infantis; O Tanha; Poesia; Ditados Populares (30.165, portugueses e brasileiros) e Exemplos edificantes.

Tem colaboração assídua na imprensa regional e fez inúmeras palestras, debates, colóquios, sobre cultura popular transmontana.

Fonte: Dicionário dos mais ilustres Trasmontanos e Alto Durienses, coordenado por Barroso da Fonte