Romaria de S. Bartolomeu de Ponte da Barca 2018

 

Vai decorrer, de 19 a 24 de Agosto de 2018, a Romaria de São Bartolomeu – a Romaria mais genuína do Alto Minho.

A Associação Concelhia das Festas de São Bartolomeu e a Câmara Municipal de Ponte da Barca apresentaram já apresentaram o cartaz e programa da Romaria, evento que aconteceu naquela que é uma das muitas novidades deste ano: a Loja Oficial da Romaria, um interessante espaço de informação e venda de vários artigos dedicados à Romaria. Outra das novidades da edição deste ano é, como salientou Augusto Marinho, Presidente da CM de Ponte de Lima “o tão esperado regresso da feira do gado e da corrida de cavalos”.

Mantendo o enfoque na tradicionalidade e nos fatores distintivos da Romaria, há mais novidades para a edição 2018 da Romaria de S. Bartolomeu que acontece na vila barquense de 19 a 24 de agosto. Desde logo, o facto da organização ter aproveitando o dia 18 de agosto, por ser sábado, e dar o arranque à festa com o destaque para o concerto do rapper português Piruka. A aposta nos músicos locais com a promoção dos concertos dos Atacadores Desapertados, Malaboos e Scream4revolution são também novidade da programação deste ano. Para além disso, foi intenção promover uma maior descentralização da romaria, ocupando outros espaços da vila, como acontece, por exemplo, com a mudança da Feira de Artesanato para a área envolvente ao edifício dos Paços do Concelho, mantendo-se as tasquinhas no Centro de Exposição e  Venda de Produtos Regionais, e os Cantares ao Desafio decorrerem mais do que um dia e em diferentes locais. Também o estacionamento foi uma preocupação, levando a organização a colocar o espaço do antigo horto municipal (junto à zona ribeirinha) disponível para estacionamento durante toda a semana.

Com o alargamento do recinto das festas, a Romaria abraçará Ponte da Barca por inteiro, envolvendo todos os grupos musicais do concelho, garantindo um programa intergeracional, respeitando sempre o cariz tradicional daquela que é a mais genuína Romaria do Alto Minho” referiu, ainda, o autarca barquense.

Do restante programa mantém-se a tradicionalidade da Noite das Rusgas – momentos alto destas festividades, a Feira do Linho, o Cortejo Etnográfico, a Procissão, e os Festivais Folclóricos.

Nada falta para que o S. Bartolomeu 2018 volte a afirmar-se como uma das grandes Romarias do Minho e do país.

 

 

Sobre Ponte da Barca…

“Em pleno coração do Alto Minho deve o seu topónimo à “barca” que fazia a ligação entre as duas margens do Rio Lima, muitas vezes peregrinos a caminho de Santiago de Compostela, sendo a “ponte” construída em meados do séc. XIV que lhe vai dar o nome de S. João de Ponte da Barca (1450).

Terra rica, fidalga, de feição arejada, as Terras da Nóbrega viram nascer junto ao bucólico Lima os irmãos Bernardes, Diogo e Agostinho, poetas da paisagem, das fontes e da saudade. Mas Ponte da Barca, é também vila morena, de granito talhada, cheia de construções apalaçadas com capelas e muros fronteiros, ameados e brasonados dos séc. XVI e XVII, os Paços do Concelho, o Pelourinho, o abrigo porticado, a Matriz dedicada a S. João Baptista com risco de Vilalobos. E ao lado de todo este espólio histórico-monumental, em plena harmonia de linhas e cérceas, uma vila nova a cheirar a progresso, uma Ponte da Barca atrativa e moderna.

Ponte da Barca é um concelho de contrastes: em primeiro plano, à esquerda a albufeira do Alto Lindoso (maior da Península), encontrando-se ao lado, o velho castelo roqueiro afonsino reconstruído por D. Dinis, em 1278, com baluartes e torre de menagem; os famosos espigueiros cobertos com lajes de granito; a Ermida, alminhas e cruzeiros.

Depois, a igreja do antigo mosteiro de Bravães, um dos mais significativos monumentos do românico do Alto Minho. É de registar o pórtico principal voltado a ocidente com cinco arquivoltas recheadas de motivos figurativos e geométricos e na porta lateral, o místico cordeiro.

Ponte da Barca turística, com as suas pesqueiras no Rio Lima (pesca da lampreia), possui ainda coutos de caça, desportos náuticos, praia fluvial, um bom equipamento de restauração e de animação hoteleira, artesanato, folclore e uma gastronomia de requinte: o presunto e a boroa de milho, as papas de sarrabulho, a chanfana de cabra à moda de Germil, a lampreia, o cabrito dos montados de Boivães e aquele branco colheita selecionada, ou os famosos vinhos branco e tinto, da Adega Cooperativa, acompanhado sempre por um saber receber como ninguém, fazem de Ponte da Barca uma terra de eleição.” Fonte