Observâncias fundamentais para um Rancho Folclórico

Observâncias fundamentais para um Rancho Folclórico que se propõe representar a sua região com base nos usos e costumes do princípio do século 20 * 

 

Mulheres

» Não devem comprimir o busto para fazerem rodar e subir as saias, mostrando as pernas até cima.

» Não devem usar saias curtas acompanhadas de meias até abaixo do joelho.

» No princípio do séc. 20, salvo raras excepções, as saias iam até aos tornozelos. As meias iam até acima do joelho, exceptuando alguns casos de meias grossas para o frio.

» Não podem abusar do uso das meias brancas rendadas, como se vê erradamente, em muitos ranchos. As meias brancas eram usadas com trajes ricos.

» As saias começaram a subir a partir de 1912/1915 e poucos anos depois verificou-se uma gradual descida na altura das meias.

» Não usar pinturas nos lábios, faces do rosto, unhas das mãos e dos pés e não depilar as sobrancelhas.

» Não devem exibir cabelos cortados. Se o tiver, como é normal, devem escondê-los o máximo possível, colocando um puxo ou até mesmo uma cabeleira.

» Não devem exibir repas na frente da testa.

» Não devem usar relógios de pulso, adereços de plástico, fantasias, brincos modernos, medalhas e cordões de alumínio a imitar ouro.

» Não devem usar peças de vestuário que não estejam de acordo umas com as outras no respeitante à função a que se destinavam: para trabalho no campo, feira, romaria, festa religiosa, missa, domingar, etc.

» O calçado deve estar sempre de acordo com a época e com o tipo de traje que vestem.

» Não devem usar calças com folhinhos que eram utilizados só pelas pessoas da alta sociedade. Devem usar, sim, calças com um certo comprimento, saias e saiotes de maneira a que estas não se vejam, sendo necessárias para isso uma certa moderação nos gestos do corpo quando dançam.

» Não devem utilizar nos vestuários panos confeccionados com fibras modernas. Devem usar um corpete interior, com mangas, feito de pano encorpado, de forma a que não se veja a pele ou as alças de algumas peças de vestuário interior, como acontece muitas vezes.

» Enquanto tiverem um trajo vestido não devem fumar, porque as mulheres antigas, que estão a representar, também não o faziam.

» Não devem mascar «chicletes» que é impróprio e feio.

 

Homens

» Quando vestem os trajos não devem usar relógios de pulso.

» Não devem trazer no fato medalhas, emblemas, placas e outros objectos comemorativos de actuações no país ou no estrangeiro.

» Não devem usar camisas ou qualquer outro vestuário de pano tecido com fibras modernas.

» Os colarinhos das camisas devem obedecer aos padrões da época que as restantes peças do vestuário representam.

» Não devem usar calçado de modelos actuais.

» Não devem usar cabelos compridos

» Não devem exibir lenços tabaqueiros, soareiros ou rapeleiros postos à cinta ou ao pescoço, passados a ferro e dobrados da mesma forma para todos os componentes.

» Não devem usar faixas com cores e modelos que nada têm a ver com os trajos da região que se propõem representar publicamente.

» Não devem usar chapéus que nunca foram usados na região a que pertence o Rancho.

 

Conjuntos

» As mulheres não devem vestir fatos iguais, tipo cortejo de oferendas.

» Os homens não devem vestir fatos iguais, tipo colégio.

» Não devem usar trajos burgueses, como acontece com muitos ranchos, que nada têm de regional.

 

Tocatas

» Os ranchos folclóricos devem usar o mesmo tipo de instrumentos populares usados na época e região que representam.

 

Danças e Cantares

» Não devem exibir danças e cantares que não tenham sido usados espontaneamente pelos antepassados da micro-região, sub-região ou região que representam.

» Não devem usar marchinhas, que nada têm de espontâneo do nosso povo, e não devem bater os pés no fim de qualquer dança, assinalando que a mesma terminou.

 

(*) Logo após a fundação da Federação do Folclore Português (FFP), e durante alguns anos, os Grupos de Folclore/Ranchos Folclóricos que pretendiam ser membros da mesma recebiam um documento com o texto acima transcrito e da autoria de Augusto Gomes dos Santos, então Presidente da FFP.

Dado que, infelizmente, ainda há muitos Grupos de Folclore/Ranchos Folclóricos que continuam a não “saber comportar-se”, aqui deixamos as informações técnicas básica para um início de actividade minimamente correcta e adequada.

 

Fonte da imagem