[ INÍCIO ]   [ Sobre o Portal ]  [ FAQs ]  [ Registar site ou blog ]  [ Enviar informações ]  [ Loja ]   [ Contactos ]

 
"Temos obrigação de salvar tudo aquilo que ainda é susceptível de ser salvo, para que os nossos netos, embora vivendo num Portugal diferente do nosso, se conservem tão Portugueses como nós e capazes de manter as suas raízes culturais mergulhadas na herança social que o passado nos legou."  (Jorge Dias)
 
 
 
Arquitectura e construções
Artesanato
Cancioneiros Populares
Danças Populares
Festas e Romarias
Grupos de Folclore
Gastronomia e Vinhos
Instrumentos musicais
Jogos Populares
Lendas
Literatura Popular
Medicina Popular
Museus Etnográficos
Música Popular
Provérbios
Religiosidade Popular
Romanceiros
Sabedoria Popular
Superstições e crendices
Trajos
Usos e Costumes
 
Agenda de iniciativas
Bibliografia temática
Ciclos
Feiras
Festivais de Folclore
Glossário
Informações Técnicas
Loja
Permutas
Pessoas
Textos e Opiniões
Turismo
 
SUGESTÕES
Calendário agrícola
Confrarias
Datas comemorativas
Feriados Municipais
História do Calendário
Meses do ano
Províncias de Portugal
 
 

Pub  
   
»» Folhas do Calendário >> Meses do ano Pub
Pub
 

FEVEREIRO
 
 

O nome deste mês provém do latim Februarius, mês da expiação e purificação. Expiação porque no dia 15, no calendário romano, havia a Februa, grande festa de purgação e expiação.

Durante essas festas era costume imolarem-se animais em sacrifícios expiatórios. Era também neste mês que os romanos homenageavam Pan, o protector dos campos, dos rebanhos em geral e sobretudo dos pastores, bem como outros deuses - como era o caso de Termino ou Termo, divindade tutelar dos marcos e balizas dos campos.

Purificação vinha do Antigo Testamento e concretizada nas prescrições do Levítico. O Novo Testamento fala da purificação da Mãe de Jesus e, a lembrá-la, já no século IV era celebrada em Jerusalém a 14 de Fevereiro. No Ocidente fixou-se a 2 de Fevereiro, 40 dias a contar de 25 de Dezembro.

No 2º calendário romano, Fevereiro era o 12º mês. Quando Júlio César, no ano 46 antes de Cristo, reformou o calendário, conservou ao mês de Fevereiro os 28 dias que ele tinha e, como deu ao ano 365 dias e 6 horas, estabeleceu que, de 4 em 4 anos, fosse aumentado um dia a Fevereiro – o mês mais curto do ano – dando assim origem ao ano bissexto.

Os antigos representavam o mês de Fevereiro sob a figura de uma mulher vestida com uma túnica azul e tendo nas mãos um pato, ave aquática, na mão e um vaso transbordante de água na cabeça, indicando a natureza chuvosa do mês.

(Adaptado de ALMANAQUE 1996 - ME/DEB e Almanaque Popular 2004)

Calendário Agrícola

Datas Comemorativas e Efemérides

 Feriados Municipais


História dos Calendários


Superstições e Crendices


Provérbios

 

<<<Janeiro +++ Março>>>

 

Voltar ao menu


Da natureza e efeitos do Signo dos PEIXES
(19 de Fevereiro a 20 de Março)

Este signo é figurado por dois peixes, e significa que assim como os peixes são húmidos e estão sempre na água, também, entrando o Sol neste signo, o tempo é húmido e abundante de águas. É signo feminino, nocturno, aquático e comum de inverno e verão. É de natureza fria e húmida, pela qual influi e imprime frialdade e humidade intemperada e danosa, às águas das lagoas e fontes, causando nelas corrupção e fazendo-as salobras. É casa nocturna e diurna de Júpiter, exaltação de Vénus, queda e detrimento nocturno de Mercúrio e sua tristeza.

O varão que nascer debaixo da influência deste signo será amigo de ver terras, deleitar-se-á de andar por mar, será muito comilão, pela qual causa poderá vir a ser enfermo, se o seu planeta não ajudar a sua compleição. Denota que será homem de poucas palavras, que será inclinado a largar a sua pátria e que terá uma larga enfermidade aos quinze anos, outra aos trinta e a terceira aos trinta e oito; mas promete-lhe conforme sua natureza, sessenta e cinco anos de vida.

Se for fêmea, denota que padecerá achaques de olhos, que será muito honesta e piedosa e molestada do mal da madre. E, finalmente, que se deve guardar de fogo, porque lhe denota grandes danos e uma enfermidade ais doze anos, outra aos vinte e um e aos trinta outra; e promete, conforme sua natureza, cinquenta e nove anos de idade.

(in “Lunário Perpétuo” – edição de 1901)

 

Da natureza e efeitos de outro Signo >>>

Pub

     

        

Se não encontrou nesta página o que procurava, pesquise em todo o Portal do Folclore Português
 



Acompanhe, em primeira mão as actualizações do Portal do Folclore Português:

FOLCLORE DE PORTUGAL - O Portal do Folclore e da Cultura Popular Portuguesa não se responsabiliza pelo conteúdo dos sítios registados
© Copyrigth 2000/2014  - Todos os direitos de cópia reservados - Webmaster