[ INÍCIO ]   [ Sobre o Portal ]  [ FAQs ]  [ Registar site ou blog ]  [ Enviar informações ]  [ Loja ]   [ Contactos ]

 
"Temos obrigação de salvar tudo aquilo que ainda é susceptível de ser salvo, para que os nossos netos, embora vivendo num Portugal diferente do nosso, se conservem tão Portugueses como nós e capazes de manter as suas raízes culturais mergulhadas na herança social que o passado nos legou."  (Jorge Dias)
 
 
 
Arquitectura e construções
Artesanato
Cancioneiros Populares
Danças Populares
Festas e Romarias
Grupos de Folclore
Gastronomia e Vinhos
Instrumentos musicais
Jogos Populares
Lendas
Literatura Popular
Medicina Popular
Museus Etnográficos
Música Popular
Provérbios
Religiosidade Popular
Romanceiros
Sabedoria Popular
Superstições e crendices
Trajos
Usos e Costumes
 
Agenda de iniciativas
Bibliografia temática
Ciclos
Feiras
Festivais de Folclore
Glossário
Informações Técnicas
Loja
Permutas
Pessoas
Textos e Opiniões
Turismo
 
SUGESTÕES
Calendário agrícola
Confrarias
Datas comemorativas
Feriados Municipais
História do Calendário
Meses do ano
Províncias de Portugal
 
 

Pub  
   
»» Festas e Romarias Pub
Pub    
 

Romaria "Milagre de Urgueira"
Urgueira - Macieira de Alcôba - Águeda - Aveiro

 

Um serrano partiu para o Brasil em 1810 e prometeu a Nossa Senhora da Guia que, se conseguisse voltar com vida, faria um forno onde pudesse cozer pão para todas as pessoas que fossem àquela Romaria. esse forno seria feito onde vissem as areias do mar.

Também prometeu fazer uma capelinha onde se pudesse venerar Nossa Senhora da Guia.

Romaria "Milagre de Urgueira"Voltou e cumpriu a promessa. Logo nos primeiros anos correu à serra muita gente para venerar Nossa Senhora. O forno tinha que arder para aquecer oito dias e oito noites. Ao fim desse tempo era varrido e posto o pão com grandes pás. Só que um dia aparece lá um velhote que entrou dentro do forno para retirar o brazido e colocar o pão dentro para cozer. Nessa altura estava a passar a procissão, e ele foi ao andor, tirou uma flor e fez todo o trabalho descalço e sem nenhuma protecção. Quando saiu, a flor estava tão verde como se estivesse num jardim, pelo que as pessoas, ao verem tal feito, ajoelharam-se e começaram a rezar. A partir daquele ano, deslocavam-se pessoas de vários pontos do país para ver o milagre. Até que um dia o velho deixou de lá ir e assim acabou a romaria.

A Associação Etnográfica "OS SERRANOS" voltaram a fazer esta mesma romaria nos moldes antigos, com a cozedura do pão que ainda hoje os romeiros levam para suas casas como talismã.

Como há cem anos, o pão é considerado sagrado.

Fonte da imagem

Voltar para Menu das Festas e Romarias>>>>>

Também poderá gostar de ler...
» Festas do Divino Espírito Santo
Açores
» Festa da Senhora da Piedade
Caniçal - Madeira
» Romaria de São Mamede
Janas - Sintra
» Festa de Santa Luzia
Castelejo
» Festa dos Caretos
Podence - Macedo de Cavaleiros
  Gosta da página? Partilhe!

Pub

     

        

Se não encontrou nesta página o que procurava, pesquise em todo o Portal do Folclore Português
 



Acompanhe, em primeira mão as actualizações do Portal do Folclore Português:

FOLCLORE DE PORTUGAL - O Portal do Folclore e da Cultura Popular Portuguesa não se responsabiliza pelo conteúdo dos sítios registados
© Copyrigth 2000/2014  - Todos os direitos de cópia reservados - Webmaster