[ INÍCIO ]   [ Sobre o Portal ]  [ FAQs ]  [ Registar site ou blog ]  [ Enviar informações ]  [ Loja ]   [ Contactos ]

 
"Temos obrigação de salvar tudo aquilo que ainda é susceptível de ser salvo, para que os nossos netos, embora vivendo num Portugal diferente do nosso, se conservem tão Portugueses como nós e capazes de manter as suas raízes culturais mergulhadas na herança social que o passado nos legou."  (Jorge Dias)
 
 
 
Arquitectura e construções
Artesanato
Cancioneiros Populares
Danças Populares
Festas e Romarias
Grupos de Folclore
Gastronomia e Vinhos
Instrumentos musicais
Jogos Populares
Lendas
Literatura Popular
Medicina Popular
Museus Etnográficos
Música Popular
Provérbios
Religiosidade Popular
Romanceiros
Sabedoria Popular
Superstições e crendices
Trajos
Usos e Costumes
 
Agenda de iniciativas
Bibliografia temática
Ciclos
Feiras
Festivais de Folclore
Glossário
Informações Técnicas
Loja
Permutas
Pessoas
Textos e Opiniões
Turismo
 
SUGESTÕES
Calendário agrícola
Confrarias
Datas comemorativas
Feriados Municipais
História do Calendário
Meses do ano
Províncias de Portugal
 
 

Pub  
   
»» Calendário Agrícola >>  Na adega... Pub


Pub

Calendário Agrícola  

  .

Janeiro
Vigiar os vinhos novos, acompanhando a evolução da sua acidez volátil e transfegando os que ainda se encontram com borras. As vasilhas com vinhos devem estar completamente cheias e bem arrolhadas.

Fevereiro
Transfegar os vinhos que não devem ser conservados mais tempo sobre as borras, isto é, na "mãe". Corrigir os vinhos defeituosos. Atestar as vasilhas mal cheias. Manter a adega sempre limpa, caiando-a de tempos em tempos com leite de cal, a que se junta uma pequena quantidade de sulfato de cobre

Março
Conclusão das transfegas, aproveitando o tempos seco e sem grandes variações de temperatura.
Prosseguir com o engarrafamento dos vinhos.

Abril
Concluir, em tempo seco e calmo, as trafegas, as colagens e os engarrafamentos dos vinhos e das aguardentes e prosseguir na vigilância às vasilhas, evitando os vazios que se preencherão com gás sulfuroso ou com atestos. Manter limpos os materiais e utensílios existentes na adega, a qual, sobretudo se o tempo decorrer húmido, deve ser arejada nas horas de sol para evitar o aparecimento e proliferação de bolores.

Maio
Proceder à trasfega dos vinhos com depósito. Manter as vasilhas atestadas para impedir que o vinho azede. Determinar a acidez volátil dos vinhos, para verificar se há necessidade de qualquer correcção.

Junho
Deve manter-se a adega limpa e arejada; se o tempo aquecer é recomendável o arejamento durante a noite. Conservar as vasilhas atestadas, recorrendo a vinhos que não alterem a qualidade dos envasilhados.

Julho
Iniciar a preparação dos equipamentos e produtos indispensáveis às próximas vindimas e ao fabrico do vinho.
Atestar o vinho e arejar a adega, mas evitando a entrada da luz solar.

Agosto
O material destinado às vindimas deve ser esfregado, raspado a seco e lavado, primeiramente, com uma solução fervente de carbonato de sódio a 10% e, depois, com água fria.
As vasilhas novas, para se evitar o gosto à madeira, devem ser "avinhadas", lavando-as com uma solução de cloreto de sódio (sal das cozinhas) a 10%.


Meses seguintes>>>
 

  Gosta da página? Partilhe!

Voltar ao menu

   
 

Pub

     

        

Se não encontrou nesta página o que procurava, pesquise em todo o Portal do Folclore Português
 



Acompanhe, em primeira mão as actualizações do Portal do Folclore Português:

FOLCLORE DE PORTUGAL - O Portal do Folclore e da Cultura Popular Portuguesa não se responsabiliza pelo conteúdo dos sítios registados
© Copyrigth 2000/2014  - Todos os direitos de cópia reservados - Webmaster