[ INÍCIO ]   [ Sobre o Portal ]  [ FAQs ]  [ Registar site ou blog ]  [ Enviar informações ]  [ Loja ]   [ Contactos ]

 
"Temos obrigação de salvar tudo aquilo que ainda é susceptível de ser salvo, para que os nossos netos, embora vivendo num Portugal diferente do nosso, se conservem tão Portugueses como nós e capazes de manter as suas raízes culturais mergulhadas na herança social que o passado nos legou."  (Jorge Dias)
 
 
 
Arquitectura e construções
Artesanato
Cancioneiros Populares
Danças Populares
Festas e Romarias
Grupos de Folclore
Gastronomia e Vinhos
Instrumentos musicais
Jogos Populares
Lendas
Literatura Popular
Medicina Popular
Museus Etnográficos
Música Popular
Provérbios
Religiosidade Popular
Romanceiros
Sabedoria Popular
Superstições e crendices
Trajos
Usos e Costumes
 
Agenda de iniciativas
Bibliografia temática
Ciclos
Feiras
Festivais de Folclore
Glossário
Informações Técnicas
Loja
Permutas
Pessoas
Textos e Opiniões
Turismo
 
SUGESTÕES
Calendário agrícola
Confrarias
Datas comemorativas
Feriados Municipais
História do Calendário
Meses do ano
Províncias de Portugal
 
 

Pub  
   
»» ARTESANATO >> “Artesanato – as marcas de um povo” - Tamancaria Pub
Pub Artesanato no distrito de Vila Real  
 


 

Tamancaria

Os socos e os tamancos eram habitualmente usados como calçado, pelos mais desfavorecidos, ou por aqueles que trabalhavam directamente com a terra.

Com a base de madeira e o revestimento em pele, o pé delicado ou grosseiro acomodava-se e movia-se, ou com graça, ou com segurança e robustez. O sentido do desconforto aparece posteriormente com o surgir de mudanças estruturais e sócio-económicas. No caso feminino, mesmo as classes mais abastadas usavam a soquinha achinelada, bem configurada, conferindo delicadeza ao jeito de andar. E mesmo o traje domingueiro era acompanhado por aquelas tamanquinhas mais perfeitas e envernizadas.

A manufactura, inteiramente realizada pelo tamanqueiro, desde o corte da madeira até ao coser e pregar da pele, reflecte a mestria do artista, verdadeiramente devoto de uma arte com tradição. Apesar de poucos, os seus continuadores teimam em perpetuá-la. O trabalho agrícola ainda reclama o seu uso e a acessibilidade a lugares, outrora fechados e isolados, traz consigo o visitante e o turista que não prescindem de um exemplar, ou mesmo de uma miniatura dos objectos indicativos de um povo e dos seus costumes.

Fonte: Guia “Artes e Ofícios Tradicionais do distrito de Vila Real” – 1999 – NERVIR

Voltar ao início>>>

   Gosta da página? Partilhe!


Pub

Pub

 

 

Pub

     

        

Se não encontrou nesta página o que procurava, pesquise em todo o Portal do Folclore Português
 



Acompanhe, em primeira mão as actualizações do Portal do Folclore Português:

FOLCLORE DE PORTUGAL - O Portal do Folclore e da Cultura Popular Portuguesa não se responsabiliza pelo conteúdo dos sítios registados
© Copyrigth 2000/2014  - Todos os direitos de cópia reservados - Webmaster