[ INÍCIO ]   [ Sobre o Portal ]  [ FAQs ]  [ Registar site ou blog ]  [ Enviar informações ]  [ Loja ]   [ Contactos ]

 
"Temos obrigação de salvar tudo aquilo que ainda é susceptível de ser salvo, para que os nossos netos, embora vivendo num Portugal diferente do nosso, se conservem tão Portugueses como nós e capazes de manter as suas raízes culturais mergulhadas na herança social que o passado nos legou."  (Jorge Dias)
 
 
 
Arquitectura e construções
Artesanato
Cancioneiros Populares
Danças Populares
Festas e Romarias
Grupos de Folclore
Gastronomia e Vinhos
Instrumentos musicais
Jogos Populares
Lendas
Literatura Popular
Medicina Popular
Museus Etnográficos
Música Popular
Provérbios
Religiosidade Popular
Romanceiros
Sabedoria Popular
Superstições e crendices
Trajos
Usos e Costumes
 
Agenda de iniciativas
Bibliografia temática
Ciclos
Feiras
Festivais de Folclore
Glossário
Informações Técnicas
Loja
Permutas
Pessoas
Textos e Opiniões
Turismo
 
SUGESTÕES
Calendário agrícola
Confrarias
Datas comemorativas
Feriados Municipais
História do Calendário
Meses do ano
Províncias de Portugal
 
 

Pub  
   
»» ARTESANATO >> “Artesanato – as marcas de um povo” - Rendas e Bordados Pub
Pub Artesanato no distrito de Vila Real  
 


 

Rendas e Bordados

A realização da prática artesanal dos bordados e das rendas ascende a tempos bastante recuados. Ela nasce do jeito e da paciência da figura feminina, e, crê-se, nas classes nobres, onde o tempo urgia ser preenchido, o tempo em que a mulher esperava pelo seu senhor. “O Homem, senhor da guerra; a Mulher, senhora do Lar”.

O mundo feminino girava então em torno do lar, depois dos afazeres domésticos e mesmo das lides campestres, o tempo que excedia era dedicado aos lavores, acentuando-se o sentido da estética.

E lindíssimos trabalhos foram surgindo da minúcia e da dedicação da mulher que decora a casa e o vestuário com destreza e arte.

Um pouco por todo o distrito [de Vila Real], existem herdeiras desta ocupação secular, e existirão, na medida em que os trabalhos são reflexos vivos de uma identidade, que teima em perpetuar-se.

As mãos e os dedos, delicados ou rudes, balançam por entre linhas e fios, num rodopiar ritmado, concebendo trabalhos de sublime gosto e perícia.

Faça-se relevo para as rendas de Barqueiros, em especial para os característicos “panos de gancho”. Estes panos são feitos com, além da habitual agulha de renda, ganchos de cabelo, utilizados para segurar o tradicional puxo das mulheres.

Fonte: Guia “Artes e Ofícios Tradicionais do distrito de Vila Real” – 1999 – NERVIR

Voltar ao início>>>

   Gosta da página? Partilhe!


Pub

Pub

 

 

Pub

     

        

Se não encontrou nesta página o que procurava, pesquise em todo o Portal do Folclore Português
 



Acompanhe, em primeira mão as actualizações do Portal do Folclore Português:

FOLCLORE DE PORTUGAL - O Portal do Folclore e da Cultura Popular Portuguesa não se responsabiliza pelo conteúdo dos sítios registados
© Copyrigth 2000/2014  - Todos os direitos de cópia reservados - Webmaster