Alentejo – antiga província de Portugal

 

Estabelecido formalmente em 1936 como província portuguesa, mas desaparecido administrativamente como tal em 1976, o Alentejo, a maior região natural de Portugal, tem uma área de 26 158 km2, o que corresponde a cerca de 29% da superfície total do País. Encontra-se dividido em duas grandes áreas, o Alto Alentejo (12 420 km2), que compreende os distritos de Portalegre e de Évora, e o Baixo Alentejo (13 738 km2), que compreende o distrito de Beja e os concelhos de Alcácer do Sal, Grândola, Santiago do Cacém e Sines, pertencentes ao distrito de Setúbal.

O Alentejo está limitado, a norte, pelo rio Tejo, que o separa da Beira Baixa, a leste, por Espanha, a sul, pelo Algarve, e, a oeste, pelo oceano Atlântico, Estremadura e Ribatejo.

O relevo da região caracteriza-se pela grande uniformidade de peneplanícies, de onde ressaltam, dispersas e afastadas, massas montanhosas de fraca altitude, com excepção das serras de São Mamede (1025 m) e Marvão (865 m). O clima é temperado mediterrânico, com verões quentes e secos e invernos chuvosos e suaves. A diminuição da influência marítima torna as áreas mais interiores do Alentejo particularmente quentes no Verão e, no Inverno, relativamente frias.

A agricultura e a pecuária são as actividades que marcam o perfil social e económico da sociedade alentejana, pois o desenvolvimento industrial e o sector dos serviços sempre foram bastante modestos. As principais culturas são o trigo, o centeio, o girassol e o tomate. São igualmente importantes as produções de cortiça, vinho e azeite. Na pecuária, merece referência a criação de gado bovino, ovino e suíno. O declínio da agricultura tem sido parcialmente compensado pela expansão de actividades relacionadas com o turismo, como a caça e o turismo rural.

O Alentejo apresenta uma grande variedade de pratos tradicionais, destacando-se a açorda alentejana, as migas, o ensopado de borrego e o lombo de porco com amêijoas; o gaspacho, o queijo de ovelha e as sopas de espargos, de poejos e de beldroegas; as azevias, boleimas e outros doces à base de amêndoas.

Alentejo. In Diciopédia X [DVD-ROM]. Porto : Porto Editora, 2006. ISBN: 978-972-0-65262-1

 

Alto Alentejo

O Alto Alentejo é uma antiga província (ou região natural) portuguesa, formalmente instituída por uma reforma administrativa havida em 1936. No entanto, as províncias nunca tiveram qualquer atribuição prática, e desapareceram do vocabulário administrativo (ainda que não do vocabulário quotidiano dos portugueses) com a entrada em vigor da Constituição de 1976.

Limitava a Norte com a Beira Baixa, a Noroeste com o Ribatejo, a Oeste com a Estremadura, a Sul com o Baixo Alentejo e a Este com a Espanha (províncias de Badajoz e Cáceres, na Extremadura).

Era então constituído por 27 concelhos, integrando todo o distrito de Évora e ainda a quase totalidade do distrito de Portalegre (apenas o concelho de Ponte de Sôr não fazia parte da província, pois estava integrado no Ribatejo). Tinha a sua sede na cidade de Évora.

Distrito de Évora: Alandroal, Arraiolos, Borba, Estremoz, Évora, Montemor-o-Novo, Mora, Mourão, Olivença, Portel, Redondo, Reguengos de Monsaraz, Viana do Alentejo, Vila Viçosa.

Distrito de Portalegre: Alter do Chão, Arronches, Avis, Campo Maior, Castelo de Vide, Crato, Elvas, Fronteira, Gavião, Marvão, Monforte, Nisa, Portalegre, Sousel.

Se ainda hoje a província em causa existisse, contaria provavelmente com 28 municípios, posto que foi entretanto criado, na área do distrito de Évora, o concelho de Vendas Novas (1962, por divisão de Montemor-o-Novo).

O seu território actualmente reparte-se pela região estatística do Alentejo e pelas sub-regiões do Alentejo Central e Alto Alentejo, sendo que apenas pela inclusão do município de Ponte de Sôr nesta última as actuais sub-regiões não correspondem na perfeição com a antiga província. Refira-se que Ponte de Sôr, apesar de fazer parte da antiga província do Ribatejo, considera-se parte, pela maioria da sua população, do Alentejo.

Baixo Alentejo

O Baixo Alentejo é uma antiga província (ou região natural) portuguesa, formalmente instituída por uma reforma administrativa havida em 1936. No entanto, as províncias nunca tiveram qualquer atribuição prática, e desapareceram do vocabulário administrativo (ainda que não do vocabulário quotidiano dos portugueses) com a entrada em vigor da Constituição de 1976.

Fazia fronteira a Norte com o Alto Alentejo, no extremo Noroeste com a Estremadura, a Oeste com o Oceano Atlântico, a Sul com o Algarve e a Este com a Espanha (província de Badajoz, na Extremadura, e de Huelva, na Andaluzia).

Era então constituído por 18 concelhos, integrando todo o distrito de Beja e ainda a metade Sul do distrito de Setúbal. Tinha a sua sede na cidade de Beja.

Distrito de Beja: Aljustrel, Almodôvar, Alvito, Barrancos, Beja, Castro Verde, Cuba, Ferreira do Alentejo, Mértola, Moura, Odemira, Ourique, Serpa, Vidigueira.

Distrito de Setúbal: Alcácer do Sal, Grândola, Santiago do Cacém, Sines.

Actualmente, o seu território reparte-se pelas sub-regiões alentejanas do Baixo Alentejo e Alentejo Litoral.

Fonte: Wikipédia (adaptado)